Prefeitura de Manaus divulga nova edição do Boletim Epidemiológico de Arboviroses

Por Prefeitura de Manaus

15/01/2024 14h52

Icone audio
Boletim Epidemiológico de Arboviroses
#paratodosverem – Agentes de endemias da Semsa em via pública percorrendo pelas residências em Manaus

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), divulga, nesta segunda-feira, 15/1, a nova edição do Boletim Epidemiológico de Arboviroses, com números de casos de dengue, chikungunya, zika, oropouche e mayaro registrados na capital.

A edição de nº 2 do informe, com dados da Semana Epidemiológica de 7 a 13/1, já está disponível no site semsa.manaus.am.gov.br. O link para acesso direto é o bit.ly/BoletimArbo2024.

Conforme o boletim, no período de 7 a 13/1, Manaus teve 609 casos notificados (suspeitos) de dengue, dos quais 46 foram confirmados e 549 estão em investigação. Três casos notificados de zika estão sendo investigados, não havendo casos confirmados da doença. Não há casos confirmados de chikungunya, que teve oito casos notificados, dos quais sete estão em investigação.

Os casos confirmados de dengue em Manaus, em 2024, somam 208, segundo os dados do boletim. Não há casos confirmados de zika ou chukyngunya neste ano.

O informe epidemiológico traz ainda 197 casos confirmados de febre oropouche, que soma 326 registros confirmados na capital neste ano. De febre mayaro, não há casos confirmados neste ano. O boletim não inclui casos notificados das duas doenças, que não são de notificação obrigatória.

Não há óbitos confirmados ou em investigação em decorrência de dengue, chikungunya, zika, oropouche e mayaro em Manaus, neste ano, ainda segundo o boletim da Semsa.

Os dados da publicação são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), via Sinan-Online e Sinan Net, e do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), estando sujeitos a atualização.

Prevenção

De acordo com o subsecretário de Gestão da Saúde, Djalma Coelho, a Semsa vem intensificando ações de prevenção e controle durante o período de chuvas, mais propício à infestação de mosquitos vetores das arboviroses. Entre elas se incluem as visitas domiciliares de agentes de endemias, para orientação a moradores e monitoramento de áreas de vulnerabilidade.

“Reiteramos a importância da eliminação de possíveis criadouros de mosquitos como principal medida de prevenção contra as doenças”, ressalta Djalma, orientando a população a realizar, ao menos uma vez por semana, uma vistoria nos quintais e no interior das casas, em busca de eventuais reservatórios de água parada, como garrafas, calhas, pneus e vasilhas para animais.

A Semsa orienta ainda a população a guardar pneus em área coberta ou fazer o descarte correto do material, e manter sempre tampadas as caixas d’água e vasos sanitários. As piscinas devem ser sempre limpas, mesmo sem uso, com uso do cloro e filtragem periódica.

— — — 

Texto – Jony Clay Borges / Semsa

Foto – Divulgação / Semsa