Prefeitura realiza ações de saúde para alertar sobre os riscos da hipertensão

Por Prefeitura de Manaus

03/05/2024 15h55

Icone audio
Ação de saúde
#paratodosverem – Servidoras da Semsa discursando sobre os riscos da hipertensão para os usuários da Clínica da Família Carmen Nicolau

Os usuários da Clínica da Família Carmen Nicolau, localizada no bairro Lago Azul, na zona Norte da capital, tiveram acesso ampliado a uma série de serviços nesta sexta-feira, 3/5. Aferição de pressão arterial, testes de glicemia capilar, atendimentos médicos e ações de educação em saúde integraram a programação referente ao Dia Mundial de Combate à Hipertensão, comemorado no próximo dia 17/5. 

As atividades, que também contemplam o Dia Nacional de Combate à Hipertensão, em 26/4, vêm sendo desenvolvidas pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para sensibilizar a população sobre os riscos que essa doença crônica representa à qualidade de vida. A USF Dr. Luiz Montenegro, no bairro Nossa Senhora das Graças, na zona Centro-Sul, deu início à agenda intensificando os serviços de saúde para os moradores da região.

O diretor da Clínica da Família Carmen Nicolau, Leandro da Silva Marques, a segunda a participar do circuito, enfatizou que a programação cria oportunidades fundamentais para fortalecer o trabalho contínuo que é realizado pelas equipes da Semsa.

“A hipertensão é uma doença crônica, que tem tratamento e pode ser controlada, mas isso depende muito do usuário, que precisa ter consciência de que precisa incorporar hábitos alimentares saudáveis, praticar atividades físicas e aprender a lidar com situações estressantes que podem prejudicá-lo”, observou Leandro, acentuando que o autocuidado é uma postura essencial para que ter uma boa qualidade de vida. “Essas informações são reforçadas nesse período do ano e contribuem muito para que o usuário fique mais vigilante”.

Uma das preocupações da enfermeira Joana Hurtado, que desenvolve ações por meio do programa Hiperdia na Carmen Nicolau, está relacionada ao tabagismo. A profissional de saúde informa que o cigarro coloca os hipertensos em vulnerabilidade, porque aumenta a frequência cardíaca e eleva a pressão arterial, elevando o risco de complicações cardiovasculares.

A enfermeira também chama a atenção para o aumento de peso, outro fator de risco que não pode ser ignorado, embora muitas pessoas que estejam com sobrepeso se sintam saudáveis, quando, segundo Joana, o organismo está apenas tolerando essa condição.

“O sobrepeso gera aumento de gordura, que inflama nossas células, diminui a imunidade e cria ateromas, que são placas de gordura que dificultam a circulação e podem levar a um infarto. Por isso, nossa preocupação em alertar o usuário sobre esse risco, tendo sempre a preocupação de fazê-lo reconhecer que mudar essa realidade requer uma postura de autocuidado”.

A aposentada Luziele Batista de Melo participou das atividades e elogiou a iniciativa que, para ela, é importante porque chama a atenção das pessoas sobre a responsabilidade de cada uma no acompanhamento da doença.

“Há quatros anos eu descobri que era hipertensa. Desde então, eu venho aqui para ser acompanhada e manter a pressão arterial controlada.  Eu acho que todo mundo precisa se cuidar, fazer seus exames de rotina, tomar os remédios direitinho para que a situação não piore”, aconselhou. 

A programação prossegue no dia 8/5, com ações de saúde ofertadas na USF Geraldo Magela, no bairro Armando Mendes, que fica na área do Disa Leste. No dia 10/5, será a vez da Unidade de Saúde da Família (USF) Deodato de Miranda Leão, na Compensa, área de abrangência do Disa Oeste. Finalizando a programação, a USF Adana Viana do Disa Rural promove suas ações de educação em saúde no dia 14/5.

— — — 

Texto – Tânia Brandão / Semsa

Fotos – Artur Barbosa / Semsa

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHBqjBoMNS