Prefeitura de Manaus amplia rede de atendimento às pessoas vivendo com HIV

Por Prefeitura de Manaus

26/01/2024 16h11

Icone audio
Manejo HIV UBS
#paratodosverem – Usuário de unidade de saúde realizando o teste rápido de HIV

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), implantou o manejo clínico de pessoas vivendo com HIV em mais três Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Na próxima segunda-feira, 29/1, o serviço passa a ser oferecido nas UBSs Carmen Nicolau, no bairro Lago Azul, e Carlson Gracie, bairro Nova Cidade (zona Norte); e Amazonas Palhano, no bairro São José (zona Leste).

Na rede municipal, o serviço já é oferecido nas UBSs Arthur Virgílio (zona Norte), Leonor Brilhante (zona Leste) e Santo Antônio (zona Oeste), que atualmente fazem o acompanhamento de 285 pessoas vivendo com o HIV.

A diretora de Vigilância Epidemiológica, Ambiental, Zoonoses e da Saúde do Trabalhador (DVAE/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, explica que o manejo clínico realizado nas UBSs é direcionado para pacientes que vivem com o vírus HIV, mas que apresentam situação de saúde estável, sem sintomas da Aids e sem outras complicações de saúde.

“A ampliação do atendimento na rede básica de saúde é uma forma de facilitar cada vez mais o acesso das pessoas que vivem com HIV aos serviços, de forma a reduzir o risco de agravamento da situação de saúde do paciente”, afirmou Marinélia, explicando que m, nas UBSs com o manejo clínico, o paciente recebe todo o acompanhamento em saúde, com médicos, enfermeiros e medicamentos, além de receber atenção integral nos vários serviços, desde as ações de imunização até de educação em saúde.

A chefe do Núcleo de Controle de HIV/Aids, Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e Hepatites Virais da Semsa, Antônia Thayná Silva, lembra que, além das UBSs, a rede municipal também oferece atendimento às pessoas com HIV/Aids nos Serviços de Atenção Especializada (SAEs) da Policlínica Comte Telles (zona Leste), da UBS Ajuricaba (zona Oeste), da clínica da família Antônio Reis (zona Sul) e da Policlínica José Antônio da Silva (zona Norte).

“Os quatro SAEs têm 9.367 pessoas em atendimento ativo. E a ideia é que os SAEs, que contam com uma equipe de especialistas, atendam os casos de maior complexidade. São aqueles casos, por exemplo, em que o paciente recebe o diagnóstico já com sintomas da Aids, ou que chega ao serviço apresentando coinfecções, como a Tuberculose/Aids. Com a ampliação de atendimento para as UBSs, há também a vantagem de evitar sobrecarga na demanda pelos serviços dos SAEs”, explica Thayná.

Casos

A Aids é uma doença causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV é a sigla em inglês), que ataca o sistema imunológico e prejudica a capacidade de defesa do organismo contra doenças. O vírus é transmitido, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal e anal), sem o uso de preservativo, com uma pessoa que esteja infectada. Também pode ocorrer transmissão da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

No ano passado, o município de Manaus registrou 1.339 casos novos de HIV e 413 casos de Aids. Já em 2022, o número de casos novos de HIV chegou a 1.904, com 486 casos de Aids.

Para a prevenção e controle do HIV/Aids, a Semsa trabalha utilizando a chamada Prevenção Combinada, recomendada pelo Ministério da Saúde e que inclui métodos como: testagem regular para o HIV; a prevenção da transmissão vertical (quando a gestante é soropositiva e pode haver a transmissão do vírus para o bebê); o tratamento das infecções sexualmente transmissíveis e das hepatites virais; a imunização para as hepatites A e B; a redução de danos para usuários de álcool e outras drogas; Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP); a Profilaxia Pós-Exposição (PEP); distribuição de preservativos; e o tratamento para todas as pessoas que já vivem com HIV.

— — —

Texto –  Eurivânia Galúcio / Semsa

Foto – Divulgação / Semsa