‘Alfabetiza Manaus’ corrige distorção de aprendizagem de 83% dos estudantes do 3º ao 9º ano do ensino fundamental

Por Prefeitura de Manaus

15/05/2024 10h33

Icone audio
Alfabetiza Manaus
#paratodosverem – Prefeito de Manaus, David Almeida, com estudantes da rede municipal de ensino

Erradicar o analfabetismo na capital amazonense é uma das metas da atual gestão municipal na área da educação. Missão que está no caminho para ser concretizada pelo “Alfabetiza Manaus”, que já alfabetizou mais de 14,7 mil estudantes do 3º ao 9º ano do ensino fundamental em 2023, detectados em avaliação de capacidade leitora e escritora, representando 83,1% de crianças e de adolescentes que participam da ação nas escolas municipais.

Iniciado de forma piloto em 2022, o “Alfabetiza Manaus” foi consolidado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) no ano passado com a distribuição de mais de 50 mil materiais pedagógicos para estudantes e professores. A finalidade é corrigir essa distorção detectada no ensino-aprendizagem da cidade nos últimos anos – mais de 17,6 mil estudantes com dificuldades de leitura ou escrita, incluindo 3,7 mil da educação especial. E vale ressaltar: os que ainda não concluíram o ciclo da alfabetização (16,9%), já estão em processo de finalização.

“Temos muitas metas na nossa gestão e uma delas, dentre as prioritárias, é erradicar o analfabetismo na nossa cidade. Um problema que vem se arrastando por anos e que se intensificou com a pandemia. Sempre soubemos que essa missão não seria fácil, mas com a dedicação dos nossos professores e dos gestores educacionais estamos no caminho para reescrever essa história. A educação é transformadora, ela muda a vida das pessoas. Felizmente, essas distorções de aprendizagem inicial, de leitura e escrita, já estão sendo superadas na nossa gestão”, declarou o prefeito David Almeida.

Fortalecimento das ações

Outro programa que está fortalecendo as ações da prefeitura no combate ao analfabetismo é o “Alfabetiza +”, implementado este ano e envolvendo cerca de 52 mil estudantes até o 2º ano do ensino fundamental, conforme orientado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Todos na fase da alfabetização, que corresponde do 1º ao 3º ano, terá a seguinte estrutura: avaliação, formação, acompanhamento escolar, ambiente alfabetizador e roteiro interdisciplinar.

Já o projeto “Aprende +”, instituído em 246 escolas e envolvendo 43 mil crianças da rede municipal, é mais um reforço no processo de ensino-aprendizagem na educação infantil. Por ele, a criança é familiarizada com a cultura da escrita e da leitura, para chegar nos três primeiros anos do ensino fundamental preparada para ser alfabetizada.

Resultados positivos

Com a intensificação das ações municipais na fase da alfabetização, a Semed comprovou os primeiros resultados positivos já no final do ano passado: em 2023, no 1º ano do ensino fundamental, 17.750 estudantes foram alfabetizados, um aumento de 3%, em comparação a 2022 (12.345 alfabetizados). Número que alcança 75,5% dos alunos matriculados no 1º ano.

O mesmo crescimento também ocorreu no 2º ano, onde em 2022, 18.891 estudantes foram alfabetizados; e em 2023, esse número subiu para 22.792, tendo 93,7% dos alunos alfabetizados. Já na última fase da alfabetização, que é o 3º ano, em 2022, foram 19.671 alunos alfabetizados, e em 2023, 22.918, representando mais de 96% dos estudantes da rede alfabetizados.

De acordo com o subsecretário de Gestão Educacional da Semed, Júnior Mar, o resultado é reflexo da aprendizagem que se desenvolve na rede municipal, que trabalha de forma enfática a alfabetização.

“Temos lacunas de aprendizagem que se intensificaram com a pandemia, com crianças que têm dificuldades na leitura, escrita e que precisam ser aprimoradas. Toda equipe da Semed tem trabalhado para isso e os resultados estão aparecendo, com esse crescimento de estudantes alfabetizados até o 3º ano (ensino fundamental)”, concluiu o subsecretário.

— — —

Texto – Cristiane Silveira/Semcom e Divulgação/Semed

Fotos – Mário Oliveira / Arquivo Semed