Prefeitura promove ação de sensibilização contra a exploração sexual infantojuvenil no centro da capital 

Por Prefeitura de Manaus

18/05/2024 15h46

Icone audio
ação
#paratodosverem – Servidora da Semasc durante ação de sensibilização contra a exploração sexual infantojuvenil em feira de Manaus

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), promoveu, neste sábado, 18/5, uma ação de sensibilização em celebração ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. A concentração teve início às 8h, na feira da Manaus Moderna, localizada no centro histórico.

A iniciativa teve como objetivo orientar e esclarecer a população da área sobre crimes sexuais contra crianças e adolescentes, buscando promover a prevenção e o combate a tais práticas. Durante o evento, foram realizadas abordagens socioeducativas, entrega de material informativo, além da divulgação dos números de disque denúncia.

A titular da Semasc, Dermi Rayol, destacou sobre a importância do evento e reforçou a relevância da conscientização para a prevenção desses crimes, ressaltando o apoio de todos para construir um futuro mais digno e seguro para as próximas gerações.

“É fundamental que estejamos unidos nessa causa, garantindo que nossas crianças e jovens cresçam em um ambiente seguro, protegido e livre de qualquer forma de violência. Por intermédio dessa ação, hoje buscamos orientar e esclarecer a população sobre a gravidade desses crimes”, pontuou a secretária. 


A subsecretária de Políticas Afirmativas para Mulheres e Direitos Humanos, Graça Prola, enfatizou a necessidade de ações contínuas ao longo do ano para prevenir e combater esses crimes à medida que a cidade passa por um aumento no número de casos. 


“Ainda temos muitos desafios como, por exemplo, a vergonha e o medo que as crianças têm de sofrer ameaças quando denunciam ou a dependência econômica dos familiares e até do agressor que está dentro de casa. Esses são os principais desafios que nós estamos, na medida que o tempo passa, buscando quebrar. Não podemos deixar mais isso acontecer, principalmente na relação doméstica e familiar”, ressaltou a subsecretária. 

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM), 210 casos de estupro contra crianças e adolescentes foram registrados no Amazonas entre janeiro e março deste ano, com 108 tendo sido registrados apenas na capital amazonense, o que equivale a 51,4% dos registros. 

A assistente social do Projeto Curumim, do instituto Jovens do Futuro, Carla Taís, evidenciou a relevância de participar de eventos em conjunto com a gestão municipal e outras Organizações da Sociedade Civil (OSCs), sensibilizando a população.


“Nós estamos aqui hoje representando as instituições do terceiro setor e é muito gratificante para nós poder participar desses eventos em conjunto com a prefeitura, com a Semasc e com outras OSCs, pois é um ato de sensibilização, um momento em que a gente realmente precisa orientar a população”, disse. 


A feirante Beatriz Fonseca, de 29 anos, relatou sobre a necessidade de conscientizar a população sobre o abuso sexual, comentando que muitas famílias ainda enfrentam o preconceito e a falta de informação sobre o assunto, o que pode levar à negligência em casos ocorridos dentro do ambiente familiar.

“É muito importante a população ser informada sobre o abuso sexual, que infelizmente ocorre com muitas crianças e adolescentes. Existem muitas pessoas, muitas famílias que ainda têm aquele preconceito ou mesmo não têm nenhum tipo de informação e isso não pode acontecer”.

‘Maio Laranja’

Alusivo ao Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado no dia 18 de maio, o “Maio Laranja” tem como objetivo orientar crianças, adolescentes, pais e a sociedade a identificar e denunciar situações de abuso e exploração sexual ao longo de todo o mês. 

A data relembra o caso da menina capixaba Araceli Crespo, sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta em 18 de maio de 1973, aos oito anos de idade.

Para denunciar casos de violência sexual contra crianças e adolescentes ou outras violações de direitos, a população pode entrar em contato com o serviço de Disque Denúncia da Semasc, ligando para os números 0800 092 6644, 0800 092 1407 ou discando 100. 

— — —

Texto – Camili Vitória/Semasc 

Fotos – Diego Lima/Semasc

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHBqjBqSuj