Notícias

Terceiro Cime é inaugurado e abrirá mais 1,6 mil vagas para 2021

Dentro do padrão de “escola do futuro”, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, inaugurou nesta quarta-feira, 2/12, o Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) Senador Artur Virgílio do Carmo Ribeiro Filho, no bairro Gilberto Mestrinho, zona Leste. A unidade vai ser integrada à rede municipal e está pronta para receber 1,6 mil alunos no ano letivo de 2021, para os ensinos infantil e fundamental.

 

Terceiro Cime é inaugurado e abrirá mais 1,6 mil vagas para 2021

 

“Quando as comunidades virem o que são essas escolas integradas à sua vida diária e promovendo educação de qualidade, não vão querer escolas diferentes, vão exigir que as próximas a serem construídas sigam esse padrão de ‘escolona’ que construímos, financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, o BID. Eu deixo mais cinco financiadas, para que o próximo prefeito as construa, sem que seja necessária a contrapartida, porque já construí as sete creches exigidas”, afirmou o prefeito, após descerrar a placa de inauguração.

 

Na ocasião, o prefeito Arthur Neto, que estava acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, do neto, Arthur Virgílio Meireles do Carmo Ribeiro, que representou a família do homenageado, além da secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, destacou que os Cimes são estruturas modernas, que reforçam mais ainda os avanços obtidos na área da Educação, nos últimos oito anos.

 

“São escolas públicas sem igual no Brasil, que o resto do país vai imitar. Elas vão oferecer educação para as crianças mais pobres e é essa diferença que quero fazer, quero condições iguais na educação”, disse o prefeito. “Mostramos no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) que não ficamos atrás na Educação e quero que o ensino público fique comprovado como ensino de qualidade. Hoje, estamos em 9º, quero que avance mais, que vá para o quinto e quem sabe o primeiro lugar, com os próximos prefeitos. Eu quero Manaus sempre para frente e a Educação é a ferramenta que revoluciona a vida das pessoas”, desejou.

 

A secretária da Semed ressaltou que os investimentos na estrutura física da rede de ensino são a coroação do trabalho desenvolvido ao longo dos últimos oito anos e que mudou a relação das pessoas com a educação. “Fizemos um trabalho de qualidade e as obras são a materialização disso, qualidade na organização da gestão e na reestruturação pedagógica da rede municipal. Nós construímos essas metas e conseguimos mudar o modo de nos relacionarmos com a sociedade. Manaus, atualmente, sabe o que é a qualidade da aprendizagem”, destacou Kátia Schweickardt.

 

As novas estruturas físicas, na avaliação da secretária, favorecem um novo tempo na educação, que não se restringe mais às salas de aula, processo que foi acelerado pela pandemia da Covid-19. “Essas estruturas dos Cimes têm salas móveis e muitas áreas abertas, onde os alunos vão poder aprender a partir do seu próprio protagonismo. Estamos deixando de ser uma educação de transmissibilidade, para ser uma educação de interação, que só estruturas como essas permitem”, afirmou Kátia.

 

Homenagem

 

O Cime recebeu esse nome em homenagem ao senador amazonense Artur Virgílio do Carmo Ribeiro Filho, pai do prefeito e filho do desembargador Artur Virgílio do Carmo Ribeiro e Luiza da Conceição do Carmo Ribeiro. Ele exerceu cargos executivos no governo do Amazonas, foi deputado federal e senador de República, mandato que não chegou a cumprir, porque foi cassado pelo regime militar. Foi anistiado dez anos depois.

 

O prefeito se emocionou ao falar do pai, que teve grande influência na política nacional, apesar de ter encerrado, prematuramente, sua carreira. “Ele liderou, junto ao Almino Afonso, uma obstrução ao orçamento, que só foi encerrada quando os recursos foram aprovados para fazer a eletrificação de Manaus e, posteriormente, um projeto dele aprovado criou a Universidade do Amazonas, hoje Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Antes disso, Manaus era uma exportadora de cérebro, as pessoas iam estudar em outros Estados e por lá ficavam”, relembrou o prefeito.

 

Cimes

 

Com uma estrutura padrão e inovadora, pensado para uma educação do século 21, o Cime é a fusão da educação infantil e ensino fundamental em um só local, e dispõe de 576 vagas para alunos da educação infantil e 1.024 para o ensino fundamental. O centro conta com 12 salas de aula em cada prédio, salas de música, leitura, multiuso, informática, vestiários masculino e feminino, brinquedoteca, jardins e espaços compartilhados, como a quadra de esporte coberta e auditório. O prédio do ensino fundamental é de dois andares, mas oferece uma plataforma elevatória para pessoas com dificuldades de locomoção.

 

A junção das duas modalidades em um único espaço melhora o acompanhamento dos alunos e promove a continuidade dos estudos da educação infantil ao ensino fundamental, além de trazer economia aos cofres públicos com a redução de aluguéis, para funcionamento de escolas.

 

Os Cimes foram construídos por meio do Projeto de Expansão e Melhoria Educacional da Rede Pública Municipal de Manaus (Proemem), que tem como objetivo geral expandir a cobertura e melhorar a qualidade da educação infantil e do ensino fundamental na rede municipal de Manaus, sendo parcialmente financiado pelo BID. Três deles já foram inaugurados e o quarto será entregue ainda na primeira quinzena de dezembro, no bairro Lago Azul. Esse Cime foi o segundo a ficar pronto, mas foi transformado em hospital de campanha durante o período mais grave da pandemia de Covid-19 e, depois de fechado, foi readaptado para escola. O quinto Cime está sendo construído no bairro Novo Aleixo, zona Norte.

 

A escolha dos locais para a construção dos Cimes se deu após análise da Semed, que identificou a necessidade de construção de uma escola, para ofertar mais vagas naquela região, atendendo ainda à exigência do prefeito de que os complexos fossem construídos em áreas de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e de maior vulnerabilidade social, para dar oportunidades reais às crianças do entorno de acesso à boa educação, fazendo justiça social.

 

“Minha filha vai adorar essa escola. Ela é maior, mais confortável, tem sala de música. Acho que ela vai aprender muito aqui, aprender inclusive a ser uma pessoa melhor, mais preparada”, disse a moradora Viviane Brito dos Santos, que já tem a vaga da filha assegurada para o Cime Arthur Virgílio Filho. “Eu fiquei feliz porque ela já veio direto para cá. É muito melhor do que a escola que ela estudava”, comparou.

 

— — —

Texto – Jacira Oliveira / Semcom e Érica Marinho/Semed

Fotos – Alex Pazuello / Semcom

 

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHsmSwUita

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse