Notícias

Professores da Prefeitura de Manaus participam do concurso nacional ‘Caminho das Águas’

Os professores Éder Soares, Leandro Guimil, Bruna Talita e Christia Gouveia, da Prefeitura de Manaus, participam do concurso nacional “Caminho das Águas”, que consiste em estimular estudantes sobre a conscientização e o aprendizado da importância da água para o planeta. O vencedor será definido por meio de votação popular, com encerramento previsto para o dia 16 de junho.

 

 

Para concorrer, os educadores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) tiveram que elaborar produções audiovisuais de stop motion, técnica que utiliza fotografias em sequência de determinado objeto em ritmo acelerado para produzir um vídeo. Para votar nos projetos dos educadores de Manaus, basta acessar o site “Caminho das Águas” (https://bit.ly/2RJSezc) e clicar na aba “assistir e votar”.

Além dos professores de Manaus, o concurso conta ainda com a participação de dez estados do Brasil. O resultado será divulgado no dia 18 de junho, cada estado terá um vencedor. O professor ganhador receberá um tablet; e a escola dele, um projetor.

Projetos


A professora Christia Taynan Mota Gouveia, do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Onias Bento da Silva, Cidade de Deus, zona Norte, desenvolveu o projeto “A dona Iguana ensina a criançada a cuidar da água”.

Com rimas e muita descontração, a dona Iguana conversa com o jacaré, tartaruga e jaraqui, que estão sofrendo com o igarapé poluído e, para ajudar seus amigos, ensina as crianças do 1° período do CMEI a cuidar e preservar a água, culminando na despoluição do igarapé.

“As nossas crianças são bem pequenas, e interagir com eles nesse período de aulas remotas foi um desafio, as mães colaboraram com brinquedos e desenhos via WhatsApp, que fizeram parte do filme. No final deu tudo certo, conseguimos produzir a animação, as crianças ficaram bem contentes e animadas em ver a produção final”, disse Christia.

“Água potável é o meu prêmio” foi o projeto desenvolvido pelo professor Leandro Guimil, da escola municipal Professor Carlos Farias Ouro de Carvalho, no Monte das Oliveiras, zona Norte, e contou com a participação dos alunos do 8° ano.

“O mais importante é a gente dar voz aos alunos a partir do vídeo. A ideia era problematizar uma situação a partir de uma forma audiovisual”, pontuou o professor.

A professora Bruna Talita Gomes, da escola municipal Senador Darcy Ribeiro, no bairro Novo Aleixo, zona Norte, criou o “Dicas do Sr. Lápis”, que sonhou com o fim da água do planeta, e, para evitar isso, ensina aos alunos do 2° ano ações para economizar a água, tal como: fechar a torneira ao lavar a louça e escovar os dentes.

“Fazer o filme em stop motion me trouxe um novo olhar sobre o lúdico no processo de ensino-aprendizagem, por ser uma técnica de filmagem que envolve os estudantes e torna a aula mais atraente. Por conta da pandemia, foi um processo desafiador, mas no fim deu tudo certo”, destacou a professora.

Intitulado “Os espetaculares”, o projeto do professor Eder da Silva, da escola municipal Rubens Sverner, no bairro Novo Israel, zona Norte, com os alunos do 5º ano, destacou a importância de preservar rios, lagos e igarapés, conscientizando o cuidado ao meio ambiente e aos recursos hídricos.

“Uma experiência única, nunca imaginei fazer um projeto dentro de uma abordagem audiovisual. Quando veio o convite da oficina ‘Caminho das Águas’, não pensei duas vezes e resolvi fazer e compartilhar as ideias com os alunos, uma vez que estou como professor das Artes e Ciências. Então resolvi montar o cronograma de forma interdisciplinar com roteiro, storyboard, sonoplastia e edição de vídeo dividida em pré-produção e produção”, detalhou o professor.

Oficinas


O projeto “Caminho das Águas” é realizado pela Zureta Filmes, patrocinado pela Aegea,  holding, que controla a concessionária Águas de Manaus, por meio da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo. Em seu site oficial, há diversos materiais didáticos, como curta-metragem de animação sobre o processo de tratamento da água, vídeos de animação sobre o ciclo da água e filtração, importância das matas ciliares, atividades em PDF que podem ser impressas e aplicadas em sala de aula.

Antes da inscrição no concurso, entre os meses de março e maio, os professores participaram de oficinas virtuais para aprender a trabalhar com o stop motion studio. Durante as oficinas, eles ficaram livres para apresentar o stop motion às turmas e para se inscrever no concurso cultural. Em Manaus, o projeto recebeu o apoio da concessionária Águas de Manaus.

 

— — —

Texto – Andrew Ericles / Semed

Fotos – Divulgação / Semed

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmVYSuKM

 

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse