Notícias

Fortalecimento das ações de controle da tuberculose é tema de oficina

Profissionais de 11 Unidades de Saúde da zona Leste de Manaus participaram, na tarde desta terça-feira, 24/5, da primeira etapa de uma oficina de capacitação para o “Fortalecimento das Ações de Controle de Tuberculose”, promovida pela Prefeitura de Manaus. Coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a programação, que será encerrada na quarta-feira, 25, foi realizada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Gebes Medeiros, no bairro Jorge Teixeira.

 

Fortalecimento das ações de controle da tuberculose é tema de oficina

 

O chefe do Núcleo de Controle da Tuberculose da Semsa, enfermeiro Daniel Sacramento, explica que a oficina faz parte do plano de ação da Semsa, para reorganizar as ações de Vigilância e Atenção em Saúde em nível local, para a melhoria dos indicadores operacionais da tuberculose.

“Os indicadores operacionais para o controle da tuberculose incluem a proporção de sintomáticos respiratórios examinados, que são pessoas apresentando tosse por duas semanas ou mais, número de pessoas em tratamento para tuberculose com exame de HIV realizado, o número de contatos de pacientes que foram examinados e a proporção de cura”, informou Daniel.

O público-alvo da oficina é formado por 32 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, abordando os temas: Situação Epidemiológica da doença e Impacto dos indicadores; Casos clínicos e discussão – Manejo Clínico da Tuberculose; Diagnóstico e Manejo Clínico da Infecção Latente da Tuberculose (ILTB); Indicadores e processo para o diagnóstico da tuberculose no Laboratório Distrital; Casos clínicos da tuberculose aplicados aos instrumentos do Programa e Indicadores da Tuberculose (parte prática).

Além de profissionais da UBS Gebes Medeiros, a capacitação envolve servidores das UBSs Cacilda de Freitas, Dr. José Avelino Pereira, Enfermeira Ivone Lima, Fábio do Couto Valle, Guilherme Alexandre, Nova Esperança e Senador Severiano Nunes, e de equipes de três Unidades Básicas de Saúde da Família (Leste – 15, Leste – 34 e Leste – 36).

Para a enfermeira Janice Albuquerque Carneiro, técnica responsável pelo programa de Controle da Tuberculose no Distrito de Saúde (Disa) Leste, o processo de capacitação é permanente, realizado muitas vezes na própria unidade de saúde, principalmente quando há o ingresso de novos profissionais.

“A oficina é uma oportunidade de reunir os profissionais e unificar as informações de acordo com as recomendações do Programa de Controle de Tuberculose, sempre lembrando que o tratamento da tuberculose não consiste apenas na entrega de medicamento, mas envolve toda uma rede de cuidado com o paciente e também os contatos familiares, com o objetivo de evitar o abandono do tratamento, chegar na cura e reduzir o risco de transmissão da doença”, explicou Janice.

Doença infecciosa e transmissível, a tuberculose é causada pela micobactéria Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch (BK), que afeta prioritariamente os pulmões. O principal sintoma é a tosse e por isso a recomendação é para que pessoas com tosse por duas semanas ou mais sejam examinadas, procurando uma das unidades de saúde da rede municipal para a realização de exames. A transmissão ocorre quando, ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir, as pessoas com tuberculose ativa, ainda sem tratamento, lançam no ar partículas em forma de aerossóis que contêm bacilos, podendo transmitir a doença para outras pessoas.

Em 2021, a taxa de incidência por tuberculose em Manaus foi de 103,4 casos/100 mil habitantes, com 2.333 casos novos de tuberculose registrados. Este ano, foram registrados 881 casos da doença em Manaus.

— — —

Texto – Eurivânia Galúcio/Semsa

Foto – Divulgação/Semsa

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse