Notícias

Zona rural recebe mutirão de limpeza

Mais um mutirão de limpeza da Prefeitura de Manaus está sendo realizado no cinturão da zona rural de Manaus. Ao todo, 13 comunidades localizadas neste perímetro da capital receberão as equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) até a segunda quinzena do mês. Cinco comunidades já foram beneficiadas e mais três distritos serão visitados nesta semana.

 

 


O mutirão de limpeza, que acontece a cada três meses nesta região, conta com o trabalho de 12 garis comunitários e o apoio de balsas e botes para a remoção de lixo. “A limpeza da área rural é um desafio assumido pelo prefeito Arthur Virgílio Neto desde o início de sua gestão. São pequenas comunidades cercadas pela floresta e rios e precisam de cuidados para que sejam preservadas”, comentou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

 

As comunidades Jatuarana (Puraquequara), Bela Vista do Jaraqui, situada no Lago do Jaraqui (55 km de Manaus), Colônia Central (região do Tupé), São João do Tupé (RDS do Tupé, a 25km de Manaus) e a Agrovila (à margem direita do Tarumã-Mirim) já receberam serviços de limpeza nos últimos 13 dias.

 

Morador da Agrovila há seis anos, Samir Terço Martins, destacou a importância do trabalho do gari comunitário e da limpeza periódica. “Temos limpeza todo dia com o trabalho do gari comunitário. Mas, essa trimestral é importante porque ajuda a livrar os rios e a floresta de receberem qualquer tipo de lixo”, avaliou.

 

Abrigando cerca de 50 famílias na sua sede, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé é também uma das regiões do Tarumã mais visitadas pelos banhistas e turistas. “Nossa comunidade é limpa e aqui preservamos nossos recursos da melhor forma possível, mas ainda precisamos melhorar, principalmente na disposição do lixo diário”, disse a presidente da comunidade, Kelly Moraes.

 

Para Luiz Carlos da Costa, que já foi gari comunitário no local, os moradores precisam se conscientizar mais sobre a preservação do local. “Todos nós somos beneficiados com este lugar se mantendo limpo e livre de poluição. Por isso, é tão importante recebermos essa limpeza e articularmos junto aos outros moradores a manutenção disso”, comentou.

 

A limpeza nas duas comunidades durou apenas dois dias em cada local. Além da capina e remoção dos resíduos, os locais recebem a visita da balsa, semanalmente, para remover o lixo diário.

 

“Para mim, o que falta nas comunidades é que os moradores pratiquem diariamente a separação do lixo. Não devemos misturar o orgânico com o lixo seco. Aqui temos terra e espaço para transformar o resto de comida em adubo ou alimento para nossos animais. Não devemos misturar. Isso ainda precisa melhorar”, lembrou Vladimir Ferreira de Magalhães, que atua como gari comunitário na comunidade do Tupé, referindo-se, principalmente, aos permissionários da Praia da Lua, localizada nas proximidades do Tupé.

 

A Semulsp já articula a visita das equipes de conscientização e sensibilização à Praia da Lua e, esta semana, as comunidades São Sebastião (Tarumã-Mirim); Julião e Ebenezer (RSD Tupé) passarão por limpeza.

 

“Essa periodicidade é ideal para as comunidades, pois coincide com o tempo de crescimento da vegetação e ajuda a manter os resíduos longe das águas, que estão mais próximas das áreas urbanizadas, com a cheia dos rios”, lembrou o subsecretário operacional da Semulsp, José Rebouças.

 

As comunidades Livramento (Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé), Nova Esperança (APA Tarumã-Ponta Negra, às margens do Igarapé do Tiu), Agrícola da Paz (Ramal do Pau Rosa, na BR 174, Nossa Senhora de Fátima (Tarumã Mirim) e Vila Nova (próximo ao Ceasa) também receberão os serviços de limpeza.

 

— —

 

Texto: Lilian D’Araujo / Semulsp

 

Fotos: D’ Castro / Semulsp

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse