Notícias

Prefeitura realiza terceira ação de retirada de ocupação irregular

A terceira ação de retirada de ocupação irregular em área de preservação permanente (APP) foi realizada nesta quarta-feira, 2/5, pela Prefeitura de Manaus em parceria com órgãos estaduais. O terreno, pertencente ao município, fica às margens do igarapé do Mindu, no Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, onde ficava localizada a antiga sede da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema). A operação reuniu aproximadamente 100 pessoas e retirou da área 23 toneladas de resíduos, provenientes das demolições feitas na área.

 

02.05.18 Terceira Ação Área de preservação ambiental no APP do P.Dez

 

A invasão vem sendo combatida desde a última sexta-feira, 27/4, pela Secretaria Executiva do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) quando tiveram início as primeiras demarcações de lotes na área. A estimativa é de que 50 barracos tenham sido alvo de demolição.

 

O trecho onde foram instalados piquetes e armações de barracos ocupa uma área de aproximadamente cinco hectares. Órgãos municipais e estaduais participaram da ação, entre eles as secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Infraestrutura (Seminf), Limpeza Pública (Semulsp), Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Casa Militar, Guarda Municipal de Manaus, Batalhão Ambiental da Polícia Militar e Eletrobras Amazonas Energia.

 

O diretor de Fiscalização da Semmas, Eneas Gonçalves, ressaltou que todos os esforços estão sendo desenvolvidos no sentido de impedir a ocupação irregular na referida área de preservação permanente (APP) em terreno público pertencente ao município. Além de ser protegida pela legislação ambiental, que proíbe edificações em APPs, o referido trecho é área de transbordo do igarapé do Mindu, ou seja, a área cumpre um papel importante na absorção das águas do igarapé em casos de aumento do volume d’água ocasionado pelas chuvas intensas.

 

“Trata-se de uma área que não comporta moradia nem qualquer outro tipo de intervenção que não seja de reflorestamento, e estamos alertando os ocupantes sobre isso”, afirmou Eneas. A ação de retirada tem caráter preventivo no sentido de resguardar a vazão do curso d’água e impedir o assoreamento do mesmo.

 

A operação desta quarta-feira foi articulada durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) na segunda-feira, 30/4. Os invasores, em sua maioria, são residentes na antiga invasão Vila Amazonas. O tenente Thiago Ribeiro, do Batalhão Ambiental, informou que a operação ocorreu dentro da normalidade e o monitoramento da área continuará sendo realizado pela Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana. A Eletrobras Amazonas Energia foi chamada ao local para retirar as ligações clandestinas. A carcaça de um veículo foi guinchada do local.

 

Fotos: Ricardo Oliveira / Semcom e Arlesson Sicsu / Semmas

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskxmPvk2

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse