Notícias

Serviços de saúde mental e indígena integram ações para atender população

Profissionais da Fundação Nacional do Índio (Funai) e representantes dos programas de Saúde Mental da Prefeitura de Manaus e do Governo do Amazonas realizaram nesta quarta-feira, 28/6, visita ao Centro de Atenção Psicossocial III Benjamim Matias Fernandes (Caps Sul) e ao Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi).

 

A visita fez parte da programação do segundo encontro do Grupo de Trabalho formado por representantes da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), da Funai (Manaus/Brasília/Parintins/Maués), da coordenação nacional e estadual de Saúde Mental, do Ministério Público Federal, do Distrito Sanitário Especial Indígena (Disei) e da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

 

“O Grupo de Trabalho iniciou as ações em novembro do ano passado com o objetivo de discutir atendimento à população indígena com problemas em saúde mental ou relacionados ao uso abusivo de álcool de outras drogas”, explica o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

 

O segundo encontro do grupo foi iniciado na terça-feira, 27/6, no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS AD) e foi encerrado com a visita aos outros dois Caps da rede municipal.

 

A diretora do Caps AD, psicóloga Luciana Oliveira Lopes, explica que o grupo de trabalho pretende estabelecer uma melhor articulação da rede de atenção psicossocial aos indígenas, com foco no atendimento aos indígenas urbanos e rurais que fazem uso prejudicial de álcool e outras drogas.

 

“É um tema que já vem sendo discutido pelo Governo Federal e os encontros do grupo de trabalho são uma forma de articular as ações da rede de atenção psicossocial que já existe e, a partir dela, integrar os serviços, identificar os problemas e estabelecer ações e metas para atender a população indígena de forma diferenciada e específica, buscando dialogar e promover o protagonismo do usuário do serviço segundo sua própria cultura”, ressalta Luciana Lopes.

 

Como parte das ações do Grupo de Trabalho, profissionais do Caps AD também estão realizando articulação com indígenas urbanos em Manaus. De acordo com a psicóloga, para colocar em prática as ações, profissionais do Caps AD e da Funai estiveram reunidos com representantes da comunidade Sol Nascente, localizada no bairro Cidade Nova (zona Norte), onde residem 40 famílias de 13 diferentes etnias indígenas.

 

“O objetivo foi levar até a comunidade indígena informações sobre os serviços existentes na rede de atenção psicossocial para pessoas que fazem o uso prejudicial de álcool e drogas, e sobre como podem buscar tratamento”, informa Luciana Lopes.

 

Para a assistente social Katleen Sado de Lima, que integra o Grupo de Trabalho representando a Rede de Atenção Psicossocial do Estado do Amazonas, a intenção dos encontros também é buscar aproximar a população indígena, por meio da Funai, dos serviços oferecidos em Saúde Mental nos municípios do interior do Amazonas, além de Manaus.

 

“Temos esses serviços em outros municípios do Amazonas, mas muitas vezes a população indígena não tem informação sobre isso e acaba procurando atendimento em Manaus. O Grupo de Trabalho busca fortalecer a comunicação para facilitar o acesso da população indígenas aos serviços disponíveis e para que a rede de atenção tenha as informações necessárias para realizar o atendimento e a abordagem adequada”, explica Katleen Lima.

 

CAPS

Atualmente, na rede municipal, os transtornos mentais graves e moderados, bem como os transtornos oriundos do uso abusivo de álcool e outras drogas são tratados em três Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Um deles, o Caps III Benjamim Matias Fernandes está localizado na avenida Maneca Marques, 1916 – Parque 10, zona Sul, e recebe casos identificados em adultos com história de internação psiquiátrica, psicoses, esquizofrenia e outros sofrimentos psíquicos graves e crônicos, como depressão grave, ansiedade crônica, transtorno bipolar e de humor.

 

O segundo, o Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi), funciona no conjunto Acariquara, no Coroado, zona Leste, e atende crianças e adolescentes com autismo, esquizofrenia, depressão, déficit de atenção, hiperatividade e problemas decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas.

 

O terceiro, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas Dr. Afrânio Soares (Caps AD III), funciona na avenida Efigênio Sales, 5, conjunto Jardim Espanha – Aleixo, zona Centro-Sul, e atende adultos com transtornos e problemas decorrentes do uso abusivo de álcool e outras drogas.

 

Reportagem: Eurivânia Galúcio

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): (92) 3236-8315

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse