Notícias

Semsa orienta sobre o atendimento às crianças nascidas de mães com HIV

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) reuniu, na manhã desta terça-feira, 25/07, os profissionais dos Distritos de Saúde (Disas) Sul, Norte, Leste, Oeste e Rural para a apresentação do fluxo de seguimento do atendimento às crianças nascidas de mães vivendo com HIV/Aids.

 

O evento aconteceu no auditório do Disa Sul, bairro São Francisco, e teve o objetivo de orientar e esclarecer dúvidas sobre o fluxo das ações na Atenção Primária voltadas para a redução da taxa de transmissão vertical do HIV, que ocorre quando a mãe transmite a doença para o bebê durante a gestação ou amamentação.

 

A reunião reuniu técnicos da Assistência e Vigilância em Saúde, responsáveis pelos programas de Saúde da Criança e Adolescentes, Grupos Especiais, Saúde Nutricional, Saúde da Mulher e Saúde do Homem, Imunização e Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs/Aids).

 

A programação foi realizada para consolidar e alinhar o fluxo de atendimento ao bebê e à mãe com HIV, reforçando as ações que são desenvolvidas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

 

“O atendimento, acompanhamento e monitoramento das crianças é iniciado já no pré-natal das mães, nas UBSs, quando há a identificação da infecção por HIV, seguindo até as ações de crescimento e desenvolvimento”, explicou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

 

A chefe do Núcleo de Combate às ISTs/Aids na Semsa, assistente social Giane Sena, informou que a reunião foi elaborada também para reforçar junto aos profissionais a importância do fluxo do seguimento para a redução do intervalo de tempo entre a alta da mãe e do bebê da maternidade e o acompanhamento para as consultas puerperais, ainda na primeira semana de vida do recém-nascido.

 

Além disso, durante o evento foi enfatizada a necessidade do retorno da mãe aos Serviços de Atenção Especializada (SAEs), que atendem pessoas vivendo com HIV/Aids na rede municipal, o tratamento do bebê com o profissional infecto-pediatra e a inscrição da criança para o recebimento da fórmula láctea infantil na Central do Leite.

“Os profissionais técnicos dos Distritos de Saúde irão repassar as informações para os profissionais que atendem a população nas UBSs, reforçando a importância desse fluxo para garantir a redução da transmissão vertical do HIV”, ressaltou Giane Sena.

 

Durante a reunião, a gerente da Rede Cegonha da Semsa, Sonja Farias, destacou que é essencial fortalecer o fluxo de atendimento para que a mãe vivendo com HIV tenha acesso ainda mais rápido à fórmula láctea infantil, disponibilizada pela Prefeitura de Manaus para a alimentação do bebê por meio de cadastro na Central do Leite, instalada na avenida Pedro Teixeira, nº 75.160, bairro Dom Pedro.

 

“Queremos facilitar o acesso ao leite para que não haja o risco da mãe, no caso de HIV positivo, amamentar o bebê, já que nem sempre a família tem condições financeiras para adquirir o leite, aumentando os riscos de transmissão vertical”, informou Sonja Farias.

 

Reportagem: Eurivânia Galúcio

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): (92) 3236-8315

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse