Notícias

Reconstrução de muros de escolas municipais está acelerada

As obras de reconstrução dos muros das Escolas Municipais Themistocles Pinheiro Gadelha e Maria Auxiliadora Santos Azevedo, na zona Leste da cidade, destruídos com o forte temporal ocorrido na tarde do último domingo, 22, estão em ritmo acelerado. As secretarias municipais de Educação (Semed) e de Infraestrutura (Seminf), além da Defesa Civil do Município trabalham em parceria para que as unidades de ensino estejam prontas até a abertura do ano letivo 2017, no próximo dia 3.

 

A chefe da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Leste II da Semed, Socorro Duarte, responsável pelas duas unidades, explicou o trabalho que está sendo realizado nas unidades. “A empresa já fez tapumes para, justamente, prevenir que ninguém adentre nos espaços onde está sendo realizada a obra. O Cose (Centro de Operação de Segurança Escolar) entrou com a parte dos agentes de portaria, que estão nas escolas diuturnamente e a Polícia Militar também tem participado no envio de uma Ronda Ostensiva periódica nas escolas”, disse, garantindo que o começo do ano letivo não será afetado.

 

Na escola Themistocles Gadelha a reconstrução do muro derrubado pela força das chuvas está em ritmo acelerado. Já na segunda-feira, 23, foi feita a retirada do entulho do muro e limpeza das salas afetadas, além do trabalho da equipe técnica da Seminf, no desentupimento de bueiros, próximo à escola.

 

De acordo com a gestora da escola, Daniele Santos, o trabalho deve ser finalizado antes do previsto. “Os trabalhadores já estão no processo da caixaria, fortalecimento da estrutura para levantar o muro. Acredito que no máximo, conforme os responsáveis me passaram em 15 dias o muro esteja levantado. Com certeza, no dia 3 de fevereiro, vamos começar normalmente as atividades do ano”, finalizou.

 

Na Escola Municipal Maria Auxiliadora Santos Azevedo, bairro João Paulo II, a reconstrução do muro que faz a divisa com a Unidade de Saúde Básica (UBS) José Avelino, a obra que está sendo realizada vai solucionar o problema de acumulo de água que provocou a queda, conforme explicou o gestor da unidade, Gilson Pereira Ângelo.

 

“Junto com a obra do muro, então fazendo um trabalho de escoamento da água com uma estrutura para que ela não fique mais empossada e não provoque novamente a queda no futuro”, comentou.

 

Texto: Paulo Rogério Veiga

Fotos: Cleomir Santos

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação (Semed): 92 3632-2054

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse