Notícias

Público de 63,5 mil pessoas lota o Centro Histórico de Manaus no Festival Passo a Paço

Um público de 63.493 pessoas compareceu ao primeiro dia do Festival Passo a Paço 2019, enchendo as ruas do Centro Histórico de Manaus durante a sexta edição do maior festival de artes da Amazônia. O perímetro de mais de 45 mil metros quadrados teve espaço para tudo: música, gastronomia, intervenções artísticas, animação, diversidade e segurança. Durante as oito horas de programação do evento, não houve registro de ocorrências graves. Idealizado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, o Passo a Paço faz parte das comemorações do aniversário de 350 anos da cidade, em 24 de outubro.

 

 

05.09.19. Passo a Paço 2019
O show de encerramento da primeira noite do festival ficou por conta do cantor americano CeeLo Green, atração internacional desta edição, que levou toda sua energia para o Palco Plataforma Malcher. Momentos antes de entrar no palco, o intérprete comentou sobre sua expectativa para a apresentação.

“Eu espero um monte de energia, interação e amor, pois é isso que estou trazendo para cá. É sobre compartilhar, e é isso que vamos fazer. Essa é uma oportunidade empolgante para mim: é a minha primeira vez em Manaus, mas já estive em São Paulo e Rio de Janeiro antes, e o Brasil como um todo tem me abraçado como uma família estendida, em que eu recebo muito carinho pelas cidades em que passo”, contou CeeLo.

Muita energia e interação foi o que, de fato, não faltou no show: além de seus grandes sucessos, como “Crazy” e “Bright Lights Bigger City”, CeeLo Green levou ao palco um repertório misto, alternando suas músicas com reinterpretações e mashups de canções de outros nomes, do rock ao eletrônico, como David Bowie, Daft Punk e White Stripes, em versões prontas para fazer todo mundo dançar.

Acompanhado de sua banda formada principalmente por mulheres em figurinos brilhantes, o performer fez o público cantar junto, arriscou algumas palavras em português e ainda aproveitou para entoar junto com todo mundo um “feliz aniversário” para sua esposa, Shani James, para quem ele dedicou a música “Fool for You”. Em homenagem à música brasileira, CeeLo também reservou um momento para tocar “Magalenha”, de Sérgio Mendes, e encerrou o show com outro de seus principais hits, “Fuck You”.

A cantora Ludmilla arrebatou o público com um show dançante e cheio de coreografias. Além dos sucessos já consagrados como “Cheguei” e “Te ensinei certin”, a cantora carioca apresentou também sucessos do seu mais novo álbum, “HELLO Mundo”. A multidão, que aguardava ansiosa pelo espetáculo, retribuiu sem pena: cantou, dançou, pulou e pediu bis. Os mais fanáticos, que estavam na grade desde às 17h, choraram de emoção.

A estudante de moda, Jaqueline Ribeiro, que acompanha a cantora nas redes sociais, foi uma delas. “Eu a amo por todo o talento que ela tem, pela pessoa que ela é, sempre atenciosa com os fãs e o público. Impossível não dançar ao som da Lud, junto com ela e com as meninas. Estou realizando um sonho aqui!”, disse emocionada.

Banana Caliente

No palco mais diverso do festival, o Palco Banana, o clima esquentou com a apresentação do cantor Jaloo. Cantor, DJ e produtor musical brasileiro, Jaloo é natural de Castanhal (PA) e foi ao delírio em seu primeiro show em Manaus: por duas vezes jogou-se no meio do público levando a galera à loucura.

“Meu Deus do Céu, eu estou muito chocado com vocês, mas chocado de feliz, hein!”, afirmou durante o show. “É muito bom estar aqui, realmente é uma cidade hospitaleira, vejo o carinho e preocupação com a equipe e eu só tenho a agradecer”, declarou o artista. 

“Eu gosto muito do Jaloo pelo seu estilo, personalidade e por representar um movimento importante para a sociedade LGBT”, disse a bailarina Luua de Oliveira, 26, que veio ao Festival Passo a Paço pela segunda vez com o namorado Thiago Grance, 22. Ela ainda afirmou que acha o evento muito bem organizado e que atinge todos os públicos com os artistas diversificados. 

Para finalizar o show, Jaloo cantou o seu novo single “Céu Azul”, em parceria com a MC Tha, além de “Dom”, single com a Karol Conka e Pedrow, que fazem parte do seu novo disco “Ft”, que será lançado nesta sexta-feira (6).

As bandas locais também se destacaram no festival. A banda Saturno, que se apresentou antes da atração nacional, trouxe o estilo o rock para cima do palco, com composições autorais do seu ep Inferno, inspirado na primeira parte da obra “Divina Comédia”, de Dante Alighieri, e também a música “Pontes”.

“É a primeira vez que estou vindo ao Festival e eu sou bem eclético. É a primeira vez também que escuto a banda Saturno e estou achando ótimo”, afirmou Renato Moreira, 27. 

“Nós tivemos muita sorte de nos encontrar e fazer estas músicas. Temos o objetivo de passar para vocês um pouco do que vivenciamos durante as composições. Estamos muito felizes de nos apresentarmos aqui hoje”, afirmou o vocalista Halmir Gonçalves. O show contou ainda com a participação de Filipe Shimizu, que concorreu no reality The Voice Brasil.

Coreto em coro

Durante os shows no Coreto, o público que prestigia gastronomia e intervenções artísticas no entorno do Museu da Cidade, quase sempre é arrematado pelo som dos artistas que se apresentam no coreto. Seja dançando ou cantando, o clima alegre que predomina na parte de cima do Festival Passo a Paço é contagiante.

O cantor Antônio Bahia foi um dos responsáveis por momentos como esse, levando o público a cantar, junto com ele, músicas como “Anunciação”, de Alceu Valença, e “No meio do Pitiú”, de Dona Onete. Na ocasião, o cantor convidou algumas pessoas para se divertirem dançando e cantando ao lado dele, em um clima de grande euforia e animação.

No intervalo das músicas, Bahia reservou um momento de reflexão para deixar um recado. “Quero pedir para você só duas coisas. Se você tem um amigo ou um parente que tem um sonho, busque a melhor forma que você possui para ajudar essa pessoa. As famílias precisam apoiar os sonhos dentro de casa. Eu resisti e aqui estou. Nunca deixem de sonhar e lutar pelo sonho de vocês”, incentivou, seguido de aplausos.   

Alternando de estilo, o palco Coreto recebeu às 21h, a banda ‘Catraia Rock’, última atração da noite. No momento, o espaço da Praça Dom Pedro II manteve um público fiel de fãs, enquanto o grupo tocava suas canções próprias, valorizando a cena de rock autoral da cidade.

Exposição Giramundo

Em clima de curiosidade, o público aproveitou para conhecer a exposição “Giramundo”, montada no Les Artistes Café Teatro. Os quase 180 bonecos exibidos conquistaram os olhares dos visitantes.

“Achei essa exposição muito bacana. São coisas abstratas, que você não vê com tanta frequência em outro lugar”, disse o jornalista Lucas Prata. 

A mostra é uma homenagem ao  grupo Giramundo, que completa quase 50 anos de existência.  

“Eu acho importante expressarmos a arte e a partir disso deixar aberto ao público. Então ter um momento em que possamos conhecer a história, ver como foram feitas as marionetes, é importante. Nessa exposição, o que mais chamou minha atenção foi “Cobra Norato”, por conta de fazer parte de uma literatura”, declarou a estudante de Letras, Larissa Taveira.

 

Fotos – Márcio James / Semcom

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmGKyjnr

 

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse