Notícias

Programa de Gestão de Alfabetização tem novas metodologias e métodos ofertados pela prefeitura

Para oferecer novas metodologias e estratégias voltadas à alfabetização de alunos da rede municipal de ensino, a Prefeitura de Manaus realiza até quinta-feira, 15/8, a formação do Programa de Gestão da Alfabetização (PGA) da Secretaria Municipal de Educação (Semed). A ação é destinada a professores do bloco pedagógico, assessores e pedagogos da rede municipal. Mais de 500 educadores devem participar da capacitação.

 

Programa de Gestão de Alfabetização tem novas metodologias e métodos ofertados pela prefeitura

 

O PGA está entre as políticas estabelecidas pela Semed para responder os desafios da alfabetização e letramento, melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e alcançar a meta 05 do Plano Municipal de Educação (PME), que pretende alfabetizar 100% das crianças até o 3º ano do ensino fundamental.

 

A iniciativa, executada desde maio de 2018, é fruto de uma parceria da Semed com o instituto Ayrton Senna (IAS) e o Projeto de Expansão e Melhoria Educacional da Rede Municipal de Educação (Proemem), por meio dos recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

 

Durante a formação serão trabalhadas novas metodologias, bem como sugestões e alternativas voltadas à alfabetização dos alunos da rede. Dentre os fatores trabalhados estão  as quatro operações do sistema numérico no campo da matemática e em língua portuguesa aspectos ligados à leitura e escrita.

 

Segundo o coordenador do PGA, Francinaldo Mendes, a ideia da formação é instrumentalizar o trabalho do professor e oferecer novas metodologias para serem utilizadas em sala de aula. Francinaldo destacou ainda que a formação vem ao encontro da análise dos resultados das últimas avaliações do PGA.

 

“Não podemos pensar na criança de forma isolada, tem o professor, o assessor pedagógico e o pedagogo. Por isso, convidamos essas pessoas para melhorarmos o planejamento do professor quanto à leitura e escrita, além de oferecer atividades que vão  propor a eles (educadores)  meios para atingir  o maior número de crianças possível. A gente acredita também que essa formação vai contemplar uma necessidade que foi verificada por meio das avaliações do PGA realizadas três vezes por ano”, explicou.

 

Para a assessora pedagógica da Divisão Distrital Zonal Sul, Irisnea Silva, que trabalha com oito escolas que executam o PGA com aproximadamente 980 alunos, o PGA ajuda as unidades a perceberem melhor as dificuldades para proporcionar intervenções aos alunos que precisam de uma atenção maior.

 

“O PGA trouxe formas para a escola conhecer melhor o aluno que tem dificuldade de aprendizagem. Eu acredito que houve uma evolução muito boa na alfabetização na rede com esse programa. Enfim, acredito que ele  veio para fortalecer e enriquecer o trabalho do professor do bloco pedagógico e que com ele o trabalho feito pela rede  só tem a evoluir cada vez mais”, disse.

 

Para a professora do bloco pedagógico da escola municipal Nazira Chamma Daou, Raimunda Melo, a formação vai ser boa para os alunos e professores. “Essas formações favorecem a aprendizagem não só dos alunos, mas também dos professores. Essa particularmente contribui muito para minha formação, eu adorei”, disse.

 

Texto – Emerson Santos / Semed

Foto – Cleomir Santos / Semed

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse