Notícias

Profissionais de saúde recebem orientação sobre autocuidado com a hanseníase

Profissionais da Prefeitura de Manaus, que atuam na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciaram nesta segunda-feira, 22/7, participação no curso de Prevenção de Incapacidades Físicas e Autocuidado em Hanseníase, promovido por meio de convênio com a Fundação Alfredo da Matta.

 

Profissionais de saúde recebem orientação sobre autocuidado com a hanseníase

 

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, explica que o objetivo do curso é capacitar recursos humanos no diagnóstico clínico e no tratamento da hanseníase, qualificando o atendimento na Atenção Básica.

 

“É mais uma etapa de um projeto maior da Prefeitura de Manaus que planeja a ampliação da cobertura de atendimento à população, para a busca ativa de casos novos de hanseníase, fortalecendo a capacitação dos servidores da Semsa para a identificação precoce dos sinais e sintomas, do diagnóstico clínico e no tratamento da doença”, informa Magaldi.

 

Com carga horária de 20 horas, o curso está sendo realizado na Fundação Alfredo da Matta, no bairro Cachoeirinha, zona Sul, e com a previsão de término, na sexta-feira, 26, capacitando 25 profissionais que atuam em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Policlínicas, sedes dos Distritos de Saúde e na Estratégia Saúde da Família (ESF).

 

“O conteúdo programático aborda temas em atividades teóricas sobre tratamento, diagnóstico diferencial, classificação e avaliação neurológica, além de oferecer atividades práticas em ambulatório. Após o curso, os profissionais estarão mais preparados para a busca ativa de novos casos, diagnóstico e tratamento”, afirma a chefe do Núcleo de Controle da Hanseníase da Semsa, Ingrid Simone Alves dos Santos.

 

A hanseníase é uma doença infecciosa, transmissível, causada pelo bacilo de Hansen. A transmissão acontece de uma pessoa infectada com o bacilo, que não esteja recebendo o tratamento, para uma pessoa sadia, por meio de secreções nasais, tosses e espirros, a partir do convívio próximo e prolongado. Com evolução lenta, a doença apresenta principalmente sinais e sintomas dermatoneurológicos: nervos e pele. Mas alguns casos não apresentam manchas na pele, apenas sintoma neurológico, com perda da força muscular e perda de sensibilidade nos nervos, podendo ser confundido com doenças como reumatismo ou Lesões por Reforço Repetitivo (LER).

 

Notificações

De acordo com dados do Sistema Nacional de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, o município de Manaus registrou este ano um total de 70 casos novos de hanseníase, sendo 21 notificados na zona Norte, 20 na zona Leste, 16 na zona Oeste, 10 na zona Sul, e três na zona rural de Manaus.

 

O bairro Cidade de Deus, zona Norte, é o que apresentou maior número de casos este ano, com seis notificações, seguido do bairro Tarumã, zona Oeste, com cinco notificações. Entretanto, os dados do Sinan mostram que há notificação de casos em 34 bairros da área urbana de Manaus.

 

Do total de 70 casos, 50 são do tipo multibacilar, que é o mais grave, com o paciente já apresentando sequelas irreversíveis. “O diagnóstico precoce é essencial para evitar o agravamento da doença e por isso a Semsa busca cada vez mais fortalecer a capacitação dos profissionais para a busca ativa de novos casos, além de orientar a população para que procure os serviços de saúde para realizar os exames”, destaca Ingrid.

 

Texto – Eurivânia Galúcio/Semsa

Foto – Divulgação/Semsa

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse