Notícias

Previdência municipal define investimentos para 2017

A previdência de Manaus deve fechar 2016 com a meta atuarial alcançada e iniciar 2017 com boas perspectivas para os investimentos dos segurados do Município. Para manter um bom desempenho, a equipe de investimentos tem se reunido com várias instituições financeiras e, baseado no cenário macroeconômico por elas traçado, tem discutido as estratégias de investimentos para o ano.

 

“Nossa expectativa é de que as taxas de juros caiam bastante e a bolsa de valores continue sua trajetória de ascensão, concretizando um cenário muito positivo para a carteira de investimentos da Manaus Previdência neste início de 2017”, disse o diretor-presidente do órgão, Marcelo Magaldi

 

Para que a meta atuarial de 2016 seja alcançada, a equipe de investimentos está esperando a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice oficial de inflação do País, à medida que muitos dos investimentos da autarquia rentabilizam de acordo com a inflação. “Somente a partir da divulgação do IPCA de dezembro é que fecharemos a rentabilidade da carteira de investimentos de 2016. Mas, com base no IPCA-15, a meta atuarial de 2016 será alcançada, propiciando iniciar 2017 ‘redondo’”, disse a superintendente de Investimentos, Raquel Campos, referindo-se à prévia do IPCA e que mostra a tendência do final de cada mês.

 

A análise foi realizada na manhã desta segunda-feira, 9, no início do segundo Curso de Análise de Investimentos, ministrado pelo instrutor Ronaldo de Oliveira, aos servidores da autarquia, assim como a membros dos comitês Fiscal (Cofis) e de Previdência (CMP) e convidados das instituições previdenciárias dos municípios de Presidente Figueiredo e Itacoatiara, além de membros da previdência estadual (Amazonprev).

 

O curso não tem custos para a Manaus Previdência por ser uma parceria com a Geração Futuro, administradora de fundos, que está investindo na disseminação da cultura previdenciária entre os profissionais que trabalham nos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS). É a continuação de módulo iniciado em outubro do ano passado, quando abordou aspectos da legislação na área. “Agora, estamos aprofundando o tema com análise sobre produtos mais estruturados”, disse Campos.

 

Equilíbrio

Conhecedor da realidade da maioria dos RPPS de Estados e municípios, o consultor Ronaldo de Oliveira analisa que muitas previdências não estão conseguindo bons resultados por terem realizados maus investimentos, alguns, talvez, até com má-fé, reflexos de gestões que precisam ser melhoradas. “Mas a Manaus Previdência está ‘super-redondinha’, buscando sempre, no dia a dia, o equilíbrio atuarial, fazendo aplicações de baixo risco e tem galgado previsões favoráveis”, avaliou.

 

No curso, que termina nesta terça-feira, 10, o consultor vai abordar as modalidades que o recurso do servidor público pode ser investido diante da resolução do Conselho Monetário Nacional; como funciona a bolsa de valores; abordar sobre os produtos mais estruturados, como fundos de investimento e participação e de investimento imobiliário.

 

“Também vamos debater sobre análise de uma carteira de investimento e como calcular o risco de mercado. E, no final, fazer um processo de seleção de gestor: diante de um monte de fundos de investimentos, qual seria o fundo mais adequado com perfil de risco e retorno para o instituto”, detalhou Ronaldo.

 

Ronaldo de Oliveira é consultor sênior, advogado, estatístico, atuário, mestre em Engenharia Elétrica, e atualmente é um dos membros dos quadros da LDB Consultoria.

 

Texto: Marcia Claudia Senna / Manaus Previdência

Foto: Assessoria / Manaus Previdência

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse