Notícias

Prefeitura de Manaus lança campanha municipal “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” [VÍDEO]

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) lançou, nesta sexta-feira, 24/11, a campanha municipal “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” com uma grande ação social realizada no CMEI Prof. Caio Carlos de Medeiros, bairro Lagoa Azul, no Viver Melhor I, zona Norte.

 

Toda a programação, que seguirá até o dia 11 de dezembro, é coordenada pela Subsecretaria Municipal de Políticas Afirmativas para as Mulheres que irá realizar uma série de atividades de sensibilização, conscientização e disseminação dos Direitos da Mulher, da Lei Maria da Penha e da Equidade e Igualdade de Gênero e as políticas públicas na cidade de Manaus, por meio de caminhadas, abordagens e panfletagens, atos públicos e rodas de conversa, ao mesmo tempo em que apoiará as atividades de iniciativa do Governo do Estado, do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher e dos Movimentos Sociais de Manaus.

 

“A gente precisa envolver toda a rede de proteção pra alertar as mulheres. Como dado, temos o registro de que mais de 80% dos casos de feminicídio, as vítimas nunca chegaram a registrar uma queixa contra o agressor. Então não podemos permitir que o silêncio continue sendo a tônica da sociedade quando se trata de violência contra a mulher”, declarou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel.

 

Na ação social foram oferecidos diversos serviços como atendimento na Carreta da Mulher, atendimento social e psicológico, orientação jurídica, registro no CadÚnico, orientação coletiva para o Bolsa Família, consultas médicas, atendimento da Defensoria Pública do Estado do Amazonas, serviços de embelezamento como esmaltação de unhas, corte de cabelo, design de sobrancelha, massagem entre outros.

 

 

A campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Desde sua primeira edição, em 1991, já conquistou a adesão de mais de 160 países. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos. No Brasil, a campanha acontece desde 2003.

 

Números alarmantes

A Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que um terço das mulheres em todo o mundo já sofreu ou vão sofrer violência ou abuso sexual. No Brasil, uma mulher morre, vítima de feminicídio a cada uma hora e meia, como apontou, em 2013, o estudo Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Amazonas é o 4º estado do ranking com maior crescimento de homicídios de mulheres. O dado é do Atlas da Violência 2017, e traz informações de 2005 a 2015. Comparando os dados nesse período, a porcentagem de alta chegou a 139,6%, no total, 838 mulheres foram vítimas. O Amazonas só perde para Roraima, Maranhão e Sergipe.

 

“Somente neste ano, a Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres fez o atendimento psicossocial e jurídico de 521 mulheres vítimas de algum tipo de violência, além do encaminhamento, acompanhamento, monitoramento, visita domiciliar e articulação institucional de outras 587 pessoas”, afirmou a subsecretária de Políticas Afirmativas para as Mulheres, Socorro Sampaio.

 

De acordo com a delegada da Delegacia da Mulher, Andrea Nascimento, com uma taxa de 4,8 assassinatos em 100 mil mulheres, o Brasil está entre os países com maior índice de homicídios femininos: ocupa a quinta posição em um ranking de 83 nações, segundo dados do Mapa da Violência.

 

“Há um tempo a mulher vivenciava um verdadeiro ciclo de violência doméstica por cinco, dez, quinze anos até efetivar a sua denúncia. Hoje, percebemos que por meio a autonomia dessa mulher ela já consegue perceber que é vítima do seu companheiro. Então, é preciso que ela registre a ocorrência, faça um boletim, denuncie pra que ela possa romper definitivamente com esse laço violento”, afirmou a delegada.

 

Programação

No dia 29 de novembro, a Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres, situada na rua Araxá, na praça do conjunto Duque de Caxias, Flores, zona Centro-Sul, realiza uma tribuna popular na Câmara Municipal de Manaus (CMM) para discutir a violência contra a mulher. No mesmo dia, o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM) realiza um ato público contra o feminicídio em frente ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).

 

No dia 1º de dezembro, no auditório da Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres acontece a palestra “A Violência Sexual e o Serviço de Atendimento a Vítimas de Violência Sexual (Savvis) nas Maternidades de Manaus”. No dia 11 de dezembro, no mesmo local, será realizada uma mesa redonda com o tema “Direitos Humanos das Mulheres e a Rede de Atendimento a Violência Doméstica e Familiar”. A entrada é gratuita.

 

Texto: Leonardo Fierro / Semmasdh

Fotos: Márcio James / Semcom

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsm6EK917

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh): 3215-4616

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse