Notícias

Prefeitura busca parceria com WWF Brasil para criar programa de monitoramento do Sauim de Coleira

Interessado em ampliar as ações de desenvolvimento sustentável e de preservação das riquezas naturais em Manaus, o prefeito em exercício Marcos Rotta se reuniu nesta terça-feira, 4/4, com representantes do WWF Brasil – sigla em inglês para o Fundo Mundial para a Natureza. Durante o encontro, realizado na sede da organização, na zona Leste, o prefeito falou da necessidade de se criar uma rede de proteção ao Sauim de Coleira, macaco símbolo da cidade de Manaus, atualmente ameaçado de extinção.

 

“Quanto mais parcerias nós pudermos desenvolver com organismos que, reconhecidamente, prestam um grande serviço à população, mais estaremos melhorando a qualidade das nossas políticas”, destacou Rotta. “Nesse caso, queremos criar um programa de monitoramento do Sauim de Coleira para, as partir dos resultados, criarmos um plano de ação para a preservação da espécie”, completou.

 

A ideia é utilizar a expertise do WWF em ações de monitoramento e proteção de animais em extinção para contribuir com o trabalho que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) já desenvolve. “Buscamos a parceria intelectual para compartilhar experiências do WWF Brasil com outros grupos que já nos auxiliam nesse projeto, trazendo inclusive profissionais de fora que, certamente, vão contribuir muito com o planejamento das nossas ações”, disse o secretário da Semmas, Antônio Nelson.

 

A partir das próximas semanas, reuniões técnicas serão realizadas para avaliar a possibilidade de se utilizar o uso de drones no monitoramento dos macacos, estratégia bem sucedida no estudo com os botos. “Considerando as distâncias geográficas do Amazonas, essa seria uma alternativa economicamente viável. A ideia é já iniciarmos as reuniões técnicas para vermos a possibilidade de aplicar essa mesma metodologia em Manaus”, explicou a analista ambiental do WWF Brasil, Jasy Abreu.

 

A prefeitura também apresentou uma prévia das ações ambientais do Município voltadas para o desenvolvimento sustentável e implantadas na gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto, como o programa “Arboriza Manaus”, que já plantou mais de 15 mil mudas em todas as zonas da cidade e que, este ano, pretende ultrapassar a marca das 25 mil mudas plantadas na cidade. Outra ação de destaque é a substituição de luminárias públicas de vapor de sódio para LED, mais eficientes e duradouras, o que gera um impacto menor ao meio ambiente. Manaus hoje conta com mais 36 mil pontos de iluminação a LED, sendo considerada a capital brasileira do LED.

 

Rede WWF

 

Fundada em 1961, a sigla WWF significava “World Wildlife Fund” o que foi traduzido como “Fundo Mundial da Natureza” em português. No entanto, com o crescimento da organização ao redor do planeta nas décadas seguintes, a atuação da instituição mudou de foco e as letras passaram a simbolizar o trabalho de conservação da organização de maneira mais ampla. Com isso, a sigla ganhou sua segunda tradução: “World Wide Fund For Nature” ou “Fundo Mundial para a Natureza”.

 

Nas últimas décadas, a Rede WWF se consolidou como uma das mais respeitadas redes independentes de conservação da natureza, com a missão de conter a degradação do meio ambiente e construir um futuro em que o homem viva em harmonia com a natureza.

 

No Brasil, a história do WWF começou em 1971, quando a Rede iniciou o seu trabalho no país apoiando os primeiros estudos feitos sobre um desconhecido primata ameaçado de extinção do Rio de Janeiro. Esse trabalho pioneiro viria a se transformar no “Programa de Conservação do Mico-Leão-Dourado”, um dos mais bem-sucedidos do gênero no mundo, que há 30 anos vem sendo executado pelo WWF em parceria com outras organizações.

 

Hoje, o WWF-Brasil executa projetos em todo o país por meio de parcerias com empresas, organizações não-governamentais, órgãos dos governos federal, estaduais e municipais, desenvolvendo atividades de pesquisa e diagnóstico; proteção de espécies e de ecossistemas ameaçados; desenvolvimento de modelos alternativos de conservação e uso dos recursos naturais; capacitação e desenvolvimento de entidades parceiras; disseminação de resultados por meio de educação ambiental, políticas ambientais e comunicação; e campanhas de mobilização social.

 

Texto: Alita Falcão / Semcom

Fotos: Alex Pazuello / Semcom

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskUhtvEv

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse