Notícias

Prefeitura apresenta detalhes da revitalização da avenida Eduardo Ribeiro

obrasreveduribeiro (2)

 

A Prefeitura de Manaus começou, nesta segunda-feira, 5, as obras de revitalização da avenida Eduardo Ribeiro, no centro da cidade, no trecho que vai da rua Monsenhor Coutinho a 24 de Maio. A obra está avaliada em R$ 9,2 milhões, com recursos provenientes do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano (FMDU), que compõe a estrutura do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb). Nesta segunda-feira, no Centro Cultural Palácio Rio Branco, o prefeito Arthur Virgílio Neto e os representantes das secretarias e órgãos envolvidos no projeto explicaram os detalhes da obra.

 

Com os trabalhos, a nova Eduardo Ribeiro ganhará de volta seus aspectos originais, do século XIX. “O Centro é a raiz do turismo, é a raiz da cultura e a raiz da nossa história. Manaus estava se desapegando do seu Centro Histórico e de suas raízes, por isso estamos trabalhando em sua revitalização. Essa é uma obra de grande significado para nós. É importante para quem preza todas as raízes que estão naquele Centro, revitalizado por este governo”, disse o prefeito.

 

O projeto da nova Eduardo Ribeiro será executado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), após aprovação no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O projeto se caracteriza pelo resgate do pavimento original da avenida, com a retirada das camadas de asfalto, o resgate das pedras lioz e os paralelepípedos originais.

 

Para a realização dos trabalhos, nesse primeiro trecho foram bloqueadas as passagens de veículos da rua José Clemente para a avenida Eduardo Ribeiro e da rua Dez de Julho para a avenida Eduardo Ribeiro.

 

“Em vez de começarmos de baixo para cima, estamos iniciando da Praça do Congresso para a rua 24 de Maio, para não atrapalharmos o Natal dos comerciantes da área que começa no dia 15 de novembro e segue até o final de dezembro. Nós vamos fazer para que cause o menor impacto possível nesta área. Os comerciantes estarão seguros e depois de passarem por essa crise que foi imposta ao país, e sobretudo depois que estiver pronto o centro da cidade, os comerciante irão lucrar muito mais com a revitalização”, explicou o prefeito.

 

Trânsito e alterações nas vias

Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) estão atuando no ordenamento do espaço, sinalizando rotas e caminhos alternativos à população. Tapumes foram colocados para delimitar o perímetro da obra, sem comprometer a calçada.  Inicialmente, os trabalhos se concentram na raspagem do asfalto, buscando recuperar os antigos paralelepípedos na via. Os serviços na calçada só serão realizados no período da noite, após o fechamento das lojas, para minimizar o impacto no comércio.

 

O diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, destacou as reuniões prévias com os comerciantes e outros envolvidos na revitalização, das quais foi preparado um planejamento a fim de evitar prejuízos ao comércio e  para quem passa pelo local diariamente.

 

“Toda a obra causa um certo transtorno, mas queremos minimizar ao máximo este impacto. Há um trabalho conjunto de nossa secretarias para criação de estratégias, como por exemplo  intensificar, o monitoramento do trânsito na área interditada”, disse Moita.

 

O trecho entre a Monsenhor Coutinho e a 24 de Maio concentra de 5% a 6% do comércio na Eduardo Ribeiro, portanto, representa o perímetro de menor impacto nesse primeiro momento. Conforme essa etapa for sendo concluída, a área será liberada. Na sequência, os trabalhos seguem para os demais quarteirões da Eduardo Ribeiro, descendo até chegar à avenida Marquês de Santa Cruz.

 

Detalhes do projeto

O projeto de requalificação da avenida Eduardo Ribeiro envolve sondagens e prospecções em toda sua extensão para o resgate das pedras de lioz e os paralelepípedos que revestiam a via de rolamento. As prospecções nas calçadas serão em até dez centímetros de profundidade, resgatando, também, o meio-fio de pedra de lioz. Onde não for encontrado o pavimento original, um trabalho com bloco de concreto pigmentado será executado.

 

Aproximadamente 8% das calçadas da avenida possui revestimento aparente de pedra de lioz. Por essa estimativa, o projeto reutiliza essas pedras em uma nova paginação, tipo mosaico, onde se assentam pedras inteiras em posições diferentes, ao longo de toda a avenida Eduardo Ribeiro. As superfícies da calçada que não apresentarem revestimento em pedra lioz serão complementadas por pedra de quartzito, com vocação para ambientação à  moda antiga, sem uso de grafismo ou cunho moderno.

 

Bondinho

Com relação aos trilhos do antigo bonde, será feito um grande esforço para que sejam resgatados e colocados de forma aparente na superfície da caixa viária, sem interferir na mobilidade. Serão implantados canteiros com árvores em ambos os lados na faixa da calçada com gradil de proteção em ferro. Próximo às esquinas, serão adaptadas rampas e faixas para acessibilidade dos pedestres.

 

E, quanto ao mobiliário, os balizadores serão de formato esférico em concreto aparente e, colocados nas esquinas de todos os cruzamentos. A iluminação dessas esquinas será feita com a implantação de postes do tipo Cajado de São José nas calçadas, a 50 centímetros do meio-fio. As calçadas também receberão em toda a sua extensão iluminação decorativa.

 

FOTOS: Alex Pazuello e Karla Vieira

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse