Notícias

Prefeitura alerta lojistas do Shopping Phelippe Daou para prazo de abertura dos espaços [VÍDEO]

Os 513 lojistas que assinaram Termo de Permissão de Uso (TPU) para abertura do Shopping Phellipe Daou, no dia 10 de dezembro do ano passado, têm até este sábado, 10/2, para abrir suas lojas ou lanches, no referido empreendimento.  A condição está prevista em documento assinado entre os permissionários e a Subsecretaria Municipal do Centro Histórico (Subsemch), parágrafo segundo.

 

“Quando o permissionário assina o Termo de Permissão de Uso, ele concorda com as cláusulas do documento, onde, entre outras, está definido o tempo previsto que ele tem para se estabelecer no shopping e colocar sua loja ou lanche para funcionar. Nesse caso, eles tiveram 60 dias, que encerram no próximo sábado”, esclareceu o subsecretário do Centro Histórico, Perseverando da Trindade Garcia Filho.

 

Os lojistas que não atenderem às regras acordadas no TPU, poderão, de acordo com o parágrafo primeiro, cláusula quinta, perder o direito ao uso do bem e, a partir daí, serem excluídos de nova inclusão em qualquer Centro de Comércio Popular implementado pelo Município.

 

“A Prefeitura de Manaus tem garantido aos permissionários um direito que foi previsto e acordado. Mas, passado esse prazo, haverá fiscalização e vamos fazer valer, legalmente, o que está acordado”, finalizou o subsecretário do Centro Histórico.

 

 

Com mais de 15 mil metros quadrados de área construída e considerado o maior Shopping Popular do Brasil, o Phelippe Daou oferece estacionamento para mais de 300 carros, praça de alimentação com 400 lugares, PAC Municipal, Sine Manaus, postos de atendimento dos projetos “Manaus Atende”, “Leite do Meu Filho” e CadÚnico.

 

Histórico

Desde 2014, o projeto “Viva Centro Galerias Populares” já realocou mais de 1.500 ex-camelôs das ruas do centro de Manaus. Desses, 295 estão instalados na Galeria Espírito Santo; 197 na Galeria dos Remédios; cinco na Praça XV de Novembro (Matriz) e dez no Parque da Juventude, na Bola do São José I, zona leste. Outros 54 artesãos também aguardam seu espaço definitivo e 70 ex-camelôs optaram por entregar suas bancas e financiar R$20.000, por meio do Fumipeq, para abrir um negócio próprio, longe dos logradouros públicos, nos bairros onde moram.

 

Este ano, o projeto entrega a 2ª e 3ª etapas da Galeria dos Remédios que, juntas, vão abrigar mais 310 novos empreendedores.

 

Texto: Dalva Andrade / Subsemch

Fotos: Marinho Ramos / Semcom e arquivo Semcom

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskBJnTpn

Assessoria de Comunicação da Subsecretaria Municipal do Centro Histórico (Subsemch): (92) 98116-7888 / 98842-4949 / 3631-2982

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse