Notícias

Prefeito Arthur Virgílio Neto defende um olhar mais atento do Poder Público para o setor de serviços

Convidado para a conferência de abertura do Conescap 2017, que está sendo realizado no Centro de Convenções Vasco Vasques, zona Centro-Sul, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, defendeu um olhar mais atento de todas as esferas de governo para o setor de serviços, responsável, em 2016, por 77% do PIB do país.

 

“Se levarmos em conta que muito desses serviços vêm da informatização da economia, teríamos que ser muito alienados para não prestarmos atenção e não levarmos a sério esse setor, que é vital para o desdobramento do processo brasileiro de busca pelo desenvolvimento”, afirmou Arthur, lembrando que, em 2014, o setor de serviços representou mais de 48,3% de influência no PIB do Amazonas.

 

Com o tema “A Força das Empresas de Serviço na Reconstrução do Brasil”, sob a condução da jornalista Cristiane Pelajo, a conferência reuniu no mesmo palco, além do prefeito de Manaus, o presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Pericias, Informações e Pesquisas, Mario Berti, o procurador da República, Carlos Fernando dos Santos e o deputado federal Laércio Oliveira (SD/SE).

 

Arthur falou sobre o empenho que o município de Manaus vem realizando para construir um ambiente favorável aos negócios, principalmente com a desburocratização de serviços e procedimentos. “Como se faz isso? Garantindo confiança, trabalhando aquilo tudo que significava burocracia por um sistema que seja mais fácil. Temos enfrentado as resistências com êxito e temos um comitê de desburocratização que reúne técnicos nossos e empresários, e eles registram avanços”.

 

Ele lembrou que a Cidade Inteligente já está com seu alicerce montado para fazer funcionar com nova dinâmica o sistema de transporte, o trânsito, as escolas e o setor de saúde, por exemplo. E disse ainda, que para um ambiente saudável de negócios, depende da capacidade de preservar a floresta, de enfrentar as crises da Zona Franca, criar novos polos, atrair novas empresas. “Porque temos um regime fiscal favorável, temos uma cidade que se consolida, e temos homens e mulheres de negócios que são capazes de vir descobrir o eldorado brasileiro”, afirmou.

 

O prefeito também foi questionado sobre a política nacional e as necessidades de reforma e ele defendeu que sejam realizadas, de imediato, as reformas da previdência, tributária e política. “Eu percebo que quando se aproximam as eleições, a coragem dos deputados diminui. O fato é que ano após ano não conseguimos fazer a reforma previdenciária, mesmo sabendo que daqui a 20 anos o sistema quebra”, disse. “Nossa carga tributária é abusiva, beira a 38% e outros países levam vantagem brutal”.

 

Texto: Jacira Oliveira / Semcom
Fotos: Mário Oliveira / Semcom
Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskrBdM5C

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse