Notícias

Ciclo de palestras marca evento de sensibilização sobre a Consciência Negra

Antecipando as comemorações pelo dia da Consciência Negra, na próxima terça-feira, 20/11, a Prefeitura de Manaus realizou nesta quarta-feira, 14/11, na Unidade Básica de Saúde ‘Armando Mendes’, na rua Aragaça, s/nº, no Conjunto Manoa, zona Norte, a ‘I Sensibilização para apoiadores institucionais, líderes comunitários e conselheiros de saúde do Disa Norte’. O tema escolhido para o evento foi “Um olhar diferenciado em face à equidade”.

 

Ciclo de palestras marca evento de sensibilização sobre a Consciência Negra

 

Segundo o secretário municipal de saúde, Marcelo Magaldi, o evento, organizado pela equipe do Distrito de Saúde (Disa) Norte da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), teve como objetivo contribuir com o monitoramento e divulgação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e da Saúde do Homem, fortalecendo o Sistema Único de Saúde (SUS).

 

“Essa ação, levando-se em consideração o III Plano Operativo (2017-2019) de saúde integral da população negra, ocorre por meio de parceria entre a área técnica do Programa Saúde da População Negra, do Disa Norte, e o Programa Saúde do Homem, com apoio da coordenação do Departamento de Atenção Primária da Semsa”, disse Magaldi.

 

Em palestra, a profissional referência para assuntos relacionados à Política Nacional de Saúde Integral da Pessoa Negra, em Manaus, Georgina Sarkis, explicou quem são e onde estão os quilombolas na cidade de Manaus. Ela também falou sobre racismo institucional e saúde mental, além da mortalidade materna e o SUS e o controle interno assistencial.

 

Além das lideranças comunitárias, conselheiros municipais de saúde e apoiadores institucionais, participaram do evento, ainda, acadêmicos do curso de Medicina, equipes de saúde da UBS Armando Mendes e equipe distrital, pais e educadores.

 

Dia da Consciência Negra

O Dia Nacional da Consciência Negra foi instituído pela Lei n° 12.519 de 10 de novembro de 2011, em homenagem a morte de Zumbi dos Palmares em 1695, líder do Quilombo do Palmares, símbolo de resistência e luta contra o sistema de escravidão no período do Brasil Colonial. A data é uma reflexão para a sociedade quanto à manutenção e resgate da cultura africana no Brasil e a inserção do negro na sociedade como sujeito de direitos sociais, religiosos e culturais, promovendo a igualdade.

 

Texto: Agnaldo Oliveira Júnior/Semsa

Foto: José Nildo/Semsa

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse