Notícias

Oficina aborda implantação de estratégia de atenção integral às doenças prevalentes na infância

Médicos pediatras, assistentes sociais, enfermeiros e nutricionistas da Atenção Básica, além de técnicos responsáveis pelas ações de saúde Nutricional, Indígena, da Criança e do Adolescente dos Distritos de Saúde Sul, Leste, Oeste, Norte e Rural participaram nesta sexta-feira, 15/9, do encerramento da I Oficina Piloto para a Implantação da Estratégia de Atenção Integral às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI Criança). O evento promovido pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), teve início na última segunda-feira, 13, na Escola de Enfermagem, em Adrianópolis, Zona Centro-Sul.

 

A AIDPI Criança é uma estratégia criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) com o objetivo de melhorar as condições de saúde das crianças nos países em desenvolvimento, contribuindo para a redução da morbidade e da mortalidade de crianças entre dois meses e cinco anos de idade.

 

“A implantação da estratégia faz parte das ações desenvolvidas pela Prefeitura de Manaus para a melhoria da qualidade da atenção oferecida às crianças na Atenção Básica, buscando evitar o agravamento de doenças e fortalecendo o combate à mortalidade infantil”, reforçou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

 

A facilitadora da oficina, enfermeira Mayra Pires Lima, explicou que a AIDPI é uma estratégia que utiliza sinais clínicos simples para estabelecer uma classificação de risco para as crianças atendidas por profissionais na Atenção Básica, de acordo com a gravidade de cada caso.

 

“O objetivo da oficina é orientar os profissionais para que tenham conhecimento das informações e uma base melhor que ajude na identificação daqueles casos mais graves e que precisam ser encaminhados rapidamente, ou os casos em que a criança precisa ser monitorada por um profissional de saúde e aqueles em que a criança pode ir para casa com orientações”, informou a Mayra.

 

Atualmente, segundo ela, a AIDPI está implantada nos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIS) no Brasil e na região Nordeste. “É uma estratégia que tem ajudado a melhorar o atendimento às crianças. Na saúde indígena, observou-se em algumas regiões a redução da mortalidade infantil em mais de 50%”, destacou Lima.

 

A programação da oficina abordou as principais doenças prevalentes na infância, incluindo situações como tosse, diarreia, febre, dificuldade para respirar, problemas de alimentação, dor de garganta ou de ouvido.

 

Continuidade

A chefe do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente da Semsa, enfermeira Ivone Amazonas, informou que a oficina piloto priorizou, em um primeiro momento, a capacitação de profissionais dos 12 Ambulatórios de Seguimento do Bebê de Risco na rede municipal, mas outras oficinas serão realizadas para a continuidade da implantação da estratégia nas demais Unidades de Saúde.

 

“O trabalho de atenção às doenças na infância já é realizado pelos profissionais nas Unidades de Saúde. A implantação da estratégia vai permitir a sistematização do serviço por meio de um fluxo e protocolo específicos. O objetivo é qualificar ainda mais o atendimento para que as doenças sejam classificadas e tratadas em tempo oportuno”, informa Ivone Amazonas, lembrando que pneumonia e a diarreia são as principais causas da mortalidade infantil em Manaus.

 

Texto: Eurivânia Galúcio / Semsa

Fotos: Divulgação / Semsa

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsm59i2XC

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa): (92) 3236-8315

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse