Notícias

Militares da Marinha recebem capacitação para brigada de combate ao caramujo

Oficiais, sargentos, cabos e praças da Marinha do Brasil participaram da 15ª formação de brigada de combate ao caramujo africano. A formação aconteceu na tarde desta quinta-feira, 17/5, na sede do Comando do 9º Distrito Naval, no Centro, zona Sul. Os militares receberam informações sobre a forma segura de combate à praga com palestra feita pela Prefeitura de Manaus, com os técnicos da Divisão de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

 

17.05.18. Formação de brigada de Combate ao Caramujo Africano

 

A atividade foi solicitada pelo 9º Distrito Naval, por meio do capitão-de-mar-e-guerra, Antônio de Jesus Barbosa, e a encarregada de Meio Ambiente da corporação tenente Bianca Lopes. “Nosso objetivo principal é capacitar nossos militares para que possam atuar como multiplicadores de informação em nossas organizações militares”, afirmou a tenente Bianca Lopes.

 

O secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Nelson de Oliveira Júnior, ressaltou que a formação realizada no Comando do 9º Distrito Naval fortalece ainda mais a parceria entre a Prefeitura de Manaus e a Marinha do Brasil. “O trabalho de Educação Ambiental desenvolvido pela Semmas tem como foco principal a sensibilização e a multiplicação de informações que levem à melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, conforme determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, e estaremos sempre à disposição para informar e orientar a população”, afirmou.

 

Desde que tiveram início, em março de 2017, ate agora, as brigadas de combate ao caramujo africano já formaram mais de 400 brigadistas. “Observamos o papel fundamental da Marinha na preservação do meio ambiente e tivemos a maior satisfação em estar presente ao Comando do 9º Distrito Naval, levando a Educação Ambiental aos mais diversos locais”, afirmou o chefe da Divisão de Educação Ambiental, Raimundo Araújo, que realizou a palestra.

 

Além de mostrar o passo-a-passo da coleta e descarte corretos do molusco, Raimundo Araújo fez uma explanação acerca da introdução da espécie exótica no Brasil e as características que a diferem das demais espécies de caramujos. “Quando realizamos uma formação de brigada, observamos que são muitas as dúvidas das pessoas em relação às possíveis doenças que o animal transmite e como pode ocorrer esse contágio. Nossa principal finalidade é exatamente formar brigadistas conscientes e desmistificar a imagem do caramujo africano”, explica Araújo.

 

Os participantes foram convidados a fazer uma simulação de como realizar a coleta e o esmagamento das carapaças dos caramujos africanos, de forma segura. Eles foram informados também sobre os cuidados que devem ser tomados em relação às crianças e aos cultivos domésticos de hortaliças, por conta do risco da presença da gosma do caramujo africano, responsável pela transmissão de doenças como meningite e hepatite, em locais onde haja focos. “Medidas simples podem evitar essa transmissão, como lavar as mãos com frequência e deixar hortaliças e frutas de molho, por 30 minutos em um litro d’água com uma colher de sopa de água sanitária, antes de consumi-las”, informa ele.

 

Os interessados em realizar formações de brigadas de combate ao caramujo africano podem ligar para a Divisão de Educação Ambiental da Semmas, pelo 3236-8587, de segunda a sexta-feira, no horário comercial, para agendar visitas técnicas e planejar a formação junto à comunidade.

 

Texto: Júlio Pedrosa / Semmas

Fotos: Arlesson Sicsú / Semmas 

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsmi86k1P

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse