Notícias

Manaus integra trabalho para revisão de portaria dos serviços de atenção às ISTs/HIV/Aids

O município de Manaus foi incluído no trabalho de consultoria que está sendo realizado pelo Ministério da Saúde para a atualização da Portaria Conjunta Nº 1, de 2013, que institui o Regulamento de Serviços de Atenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)/HIV/Aids, definindo modalidades, classificação, organização das estruturas e o funcionamento dos serviços na rede de saúde.

 

 

A chefe do Núcleo de Controle de ISTs/Aids e Hepatites Virais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), enfermeira Rita de Cássia Castro de Jesus, explica que o Ministério da Saúde selecionou cinco Estados brasileiros para receber a visita de consultores com o objetivo de conhecer e analisar os serviços de atendimento em saúde às pessoas vivendo com HIV nas redes municipal e estadual.

 

Além do Amazonas, o trabalho acontece em Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. “Em cada Estado selecionado, os consultores visitam os serviços, obtendo informações sobre como é feito o atendimento e as dificuldades encontradas. A finalidade é reunir informações que irão possibilitar a construção de uma nova portaria, mais atual e adequada à realidade no atendimento às pessoas que vivem com HIV/Aids”, explicou Rita de Cássia.

 

No Amazonas, a visita de consultoria do Ministério da Saúde aconteceu na semana passada, no período de 24 a 26 de abril, no Hospital de Medicina Tropical, em serviços de saúde no município de Itacoatiara e na Unidade Básica de Saúde (UBS) Arthur Virgílio Filho, no bairro Novo Aleixo (zona Norte).

 

De acordo com a médica infectologista Rosa Alencar, consultora do Ministério da Saúde, desde a publicação da portaria em 2013, houve mudanças na rotina diária de serviços, com inovações tecnológicas, por exemplo, em relação ao Centro de Testagem e Aconselhamento, que na época não estavam disponíveis e não estão previstas nas atribuições desses serviços.

 

“O mesmo acontece com questões do atendimento em relação às hepatites virais, que não estavam previstas na portaria e agora precisam ser incluídas. O importante na revisão é que a atualização possa espelhar a realidade dos serviços, nas diferentes regiões, e por isso as equipes de consultoria estão realizando as visitas nos cinco Estados”, informou Rosa Alencar, lembrando que o trabalho deve ser encerrado em junho deste ano.

 

Serviços

 

Além da UBS Arthur Virgílio, onde são acompanhadas 55 pessoas vivendo com HIV, a Prefeitura de Manaus oferece atendimento clínico de pacientes assintomáticos, ou seja, que foram diagnosticados com o vírus HIV, mas que não apresentam sintomas da doença, na UBS Leonor Brilhante, bairro Tancredo Neves (zona Leste), acompanhando, atualmente, 10 pacientes.

 

“A oferta de atendimento nas duas Unidades Básicas faz parte da campanha de Descentralização do Atendimento às Pessoas Vivendo com HIV, executado pela Prefeitura de Manaus, com o objetivo de melhorar o atendimento às pessoas diagnosticadas com o vírus e ampliar as formas de acesso na rede de Atenção Básica. A meta é que, até 2021, o serviço seja oferecido em 12 Unidades Básicas”, destacou Rita de Cássia.

 

A rede municipal também oferece atendimento em quatro Serviços de Atenção Especializada (SAEs) para pessoas vivendo com HIV, incluindo gestantes e pacientes com comorbidades associada à infecção, como tuberculose ou outra doença.

 

Relação de endereços do serviço de atendimento especializado (sae):

 

Zona Norte: Policlínica Dr. José Antonio da Silva, rua Aroeiras, nº 55, bairro Monte Das Oliveiras;

Zona Sul: Policlínica Dr. Antônio Reis, rua São Lázaro, s/n, bairro São Lázaro;

Zona Leste: Policlínica Dr. Antônio Comte, rua J, s/n, etapa B, São José 3;

Zona Oeste: Policlínica Dr. José Raimundo Franco de Sá, avenida V, s/n; Nova Esperança 1.

 

— —

Texto: Eurivânia Galúcio/Semsa

Fotos: Divulgação/Semsa

 

Em Anexo

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse