Notícias

Instituto do Autismo do Amazonas reforça corpo técnico a partir de termo de fomento com o Fundo Manaus Solidária

O Instituto do Autismo do Amazonas foi uma das 35 Organizações da Sociedade Civil (OSC) contempladas pelo Edital de Fomento, do Fundo Manaus Solidária, e nesta sexta-feira, 15/3, realizou uma programação especial para lançar o projeto “Habilitação e reabilitação do autista”, que irá beneficiar as 60 crianças e adolescentes que recebem assistência por parte do instituto. O edital de fomento do Manaus Solidária foi lançado no final do ano passado e contemplou projetos das áreas de geração de renda; inclusão social de crianças e adolescentes; de jovens e adultos; de idosos; de mulheres em situação de risco e de pessoas com deficiência.

18-03-15 - Instituto do Autismo.

 

A solenidade de lançamento do projeto contou com a presença da vice-presidente do Fundo Manaus Solidária, Mônica Santaella, que representou a presidente do Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro. Conforme Mônica, embora a Prefeitura de Manaus mantenha o Espaço de Atendimento Multidisciplinar ao Autista Amigo Ruy (EAMAAR), o prefeito Arthur Virgílio Neto e a presidente do Fundo Manaus Solidária tem consciência de que a demanda de crianças autistas é grande e que é preciso fortalecer as instituições que reforçam o atendimento a quem precisa.

 

“No município há o Espaço Amigo Ruy, que oferece atendimento multidisciplinar, mas paralelamente a isso as parcerias são trabalhadas. E o Fundo Manaus Solidária, com a determinação e o incentivo da nossa presidente quer permitir, através do fomento, o atendimento às crianças e, principalmente o diagnóstico precoce, que muitas vezes elas não conseguem. Para todos nós do Fundo é motivo de muita alegria ver que os recursos que foram disponibilizados estão sendo investidos da forma correta, que as parcerias estão sendo trabalhadas com responsabilidade e que está havendo o benefício de quem precisa”, afirmou.

 

De acordo com a coordenadora dos projetos e das terapias do Instituto do Autismo, a assistente social Edilene Fonseca o projeto “Habilitação e reabilitação do autista” só pôde ser viabilizado neste momento em virtude da parceria firmada com o Fundo Manaus Solidária. Por meio dela foram contratados profissionais de pedagogia, nutrição, psicologia e fonoaudiologia. Além dos profissionais contratados em virtude do fomento, o Instituto do Autismo tem em seus quadros profissionais cedidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) e voluntários.

 

“É com parcerias como essa que conseguimos dar uma melhor qualidade de vida para as crianças através da contratação de profissionais e, consequentemente, com o desenvolvimento das terapias. Esse atendimento é de fundamental importância para as crianças e para os pais, que não tem condições de pagar pelas terapias e para os filhos, que não ganhariam em autonomia e qualidade de vida. Nós só conseguimos contratar mais profissionais por causa do termo de fomento disponibilizado pelo Fundo Manaus Solidária e nós somos muito gratos por isso”, enfatizou.

 

Atendimento

O Instituto do Autismo do Amazonas atende a 60 crianças em dois turnos, uma vez por semana, e uma vez por mês são realizadas atividades para público externo. “São crianças que não conseguimos contemplar com as terapias, mas a gente dá treinamento para os pais, ensina como confeccionar materiais para facilitar a vida do autista e a comunicação dele em casa”, explicou Edilene.

 

Mãe de Simon Levy, de 11 anos, Lídia Tavares reforça a importância das terapias para as crianças autistas. Segundo ela, com as terapias o desenvolvimento das crianças melhora bastante e alguns aprendem a ler e escrever, além de melhorarem o comportamento e ficarem mais tranquilas e sociáveis. “Aqui os terapeutas fazem de tudo para ajudar nossas crianças, tem paciência e amor. Para trabalhar com criança autista precisa disso, porque muitas têm crises, alguns desenvolvem, outros não e tudo é lento. Simon tem aprendido bastante, já conversa um pouco e está mais tranquilo. É importante ter ajuda”, destacou.

 

Outro ponto destacado por Lídia é o espaço de convivência entre pais de crianças autistas. “Para nós é difícil lidar com algumas situações e aqui os pais, junto com os terapeutas, aprendem e ensinam, principalmente a como ajudar os filhos fora desse ambiente. Não teríamos como proporcionar essas terapias aos nossos filhos e agradeço a todos que nos permitem isso. Meu desejo é que meu filho possa ter o máximo de independência e para isso essa ajuda é fundamental”, finalizou.

— — —

Texto: Michele Gouvêa / Fundo Manaus Solidária
Fotos: Karla Vieira / Fundo Manaus Solidária

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsmzyg8yc

 

 

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse