Notícias

Implantação de sistema de controle de estoque promove economia anual superior a R$ 5 milhões

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) alcançou economia superior a R$ 5 milhões no exercício de 2016 com a distribuição de merenda escolar, desde a implantação do Sistema de Gestão de Controle de Estoque Integrado – PMM. Por meio da ferramenta, o lanche dos alunos chega de forma mais eficaz às unidades de ensino da rede municipal, com regularidade e sem desperdício.

 

O sistema, implantado em março de 2016, em parceria com a Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad), permite o melhor acompanhamento e controle dos alimentos enviados às unidades de ensino, na área Urbana e Rural de Manaus, além de ter possibilitado a redução de 20% do desperdício da merenda escolar. A economia de R$ 5 milhões no órgão passa a ser, a partir de agora, anual e se projeta para os próximos anos.

 

As melhorias foram possíveis porque o estoque foi inserido no sistema e cada escola passou a ter acesso, em tempo real, à quantidade a ser disponibilizada para sua unidade, podendo acompanhar de forma automatizada a merenda disponível. O processo formativo dos servidores da Semed e a implantação do sistema contou com a parceria da Semad.

 

“Esse sistema representa um avanço significativo para a Prefeitura, à medida que seu desenvolvimento e implantação não gerou nenhum custo para o município. Uma vez que todo o processo foi realizado pela Semad e, principalmente, pela vultuosa economia de recursos que puderam ser direcionados a outras áreas da educação”, destacou a titular da Semad, Luiza Bessa Rebelo.

 

O diretor de Suprimento e Logística da Semed, Leís Batista, explicou que o sistema é interligado, o que garante um abastecimento mais rápido, atendendo a real necessidade de cada unidade de ensino da rede, o que ocasionou a regularização do atendimento e queda de 20% do desperdício de alimentos. Ele acrescentou que com a nova sistemática, ficou mais fácil acompanhar o que cada escola tem em seu estoque de alimentos.

 

“Com a descentralização das atividades, foi criada a figura de supervisor de alimentação distrital. Esse profissional, por estar mais próximo às escolas do seu distrito, consegue nos informar de maneira mais precisa as necessidades de cada unidade, produtos disponíveis e, assim, podemos fazer a conferência desse material e verificar se o gestor está dando baixa dos produtos diariamente”.

 

O controle de estoque foi descentralizado para as sete Divisões Distritais Zonais (DDZs) da Semed, que coordenam as escolas da rede. Ao todo, são 14 supervisores de alimentação e cerca de 100 assessores da Gestão Integrada da Escola (Gide), que visitam as escolas semanalmente. Estes fazem o acompanhamento de gestão nas unidades escolares, com a responsabilidade de manter o controle e fiscalizar a regularidade do abastecimento da alimentação escolar.

 

Leís Batista explicou que, anteriormente, os pedidos de merenda escolar eram feitos apenas com base nas informações dos gestores das escolas, o que não permitia a obtenção de uma informação precisa. Ele destacou que a partir desta mudança, o sistema é atualizado diariamente.

 

Distribuição

No final de janeiro, a Semed começou a distribuição dos alimentos para o início do ano letivo, com o envio dos gêneros secos e congelados das escolas da rede. No último dia 6 de fevereiro foram feitas as entregas dos gêneros da agricultura familiar.

 

A distribuição dos alimentos da Semed para as escolas acontecem semanalmente com os alimentos da agricultura familiar e quinzenalmente com os alimentos secos. As proteínas são enviadas a cada dez dias e as embarcações para a zona rural saem a cada 15 dias com os alimentos necessários para o consumo, estipulado pelos estudos da Subsecretaria de Infraestrutura e Logística da Semed.

 

Melhorias

No último dia 3 de fevereiro, o sistema ganhou um novo módulo. De acordo com o diretor do Departamento de Sistemas e Tecnologia da Informação da Semad, Reniere Braga, a atualização permite, através de uma lista de cardápios previamente elaborados, identificar a quantidade dos alunos, turnos e horários em que cada tipo de merenda poderá ser aplicado, permitindo maior controle e economia.

“Dessa forma, a Semed consegue definir quais produtos serão adicionados na composição de um cardápio específico, gerando dados positivos para a avaliação na área de nutrição e evitando desperdício. Será possível realizar análises por zonas da cidade, identificando o perfil de consumo dos alunos de cada zona, por exemplo”, explicou.

 

Controle de medicamentos

A Prefeitura vai lançar também, dentro do Sistema de Gestão de Estoque, um controle de distribuição de medicamentos nos mesmos padrões da merenda, visando também o controle na área das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), coordenadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

 

“Estamos trabalhando para que até a metade do mês de fevereiro o sistema já esteja funcionando no primeiro posto de atendimento da Semsa”, finalizou Braga.

 

Texto: Martha Bernardo / Semed e Milena Soares / Semad

Fotos: Karla Vieira/ Semcom

Disponível em: https://flic.kr/s/aHskMEiebf

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação (Semed): 92 3632-2054

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse