Notícias

Equipe de escola municipal conquista resultado expressivo em torneio internacional

A primeira equipe de robótica da rede municipal de ensino de Manaus a participar de um torneio internacional voltou para casa com um resultado expressivo na competição e com vários aprendizados na bagagem. Dos 120 times de vários países participantes do Torneio de Robótica First Lego League (FLL) Open European Championship 2017, na Dinamarca, a Equipe Invictus, da Escola Municipal Jorge Rezende Sobrinho, no bairro São José, conquistou a 34ª colocação, sendo a única equipe de escola pública municipal de todo país a estar na competição.

 

A Invictus recebeu a oportunidade de participar do torneio internacional após concorrer na etapa nacional com outras 75 equipes brasileiras, em que apenas cinco eram de unidades públicas de ensino. Antes, na etapa regional, eles já haviam sido os únicos alunos de escolas públicas classificados.

 

Formada pelos estudantes Daniel Ribeiro, 16, Laís Sampaio, 14, Pedro dos Santos Oliveira, 15, Sâmila Magalhães, 14, Thiago Michiles, 15, a equipe participou da competição juntamente com a professora Grasielle Souza, e o diretor Oswaldo Fernandes, que ao desembarcar em Manaus falou sobre a experiência e o ganho que cada um dos jovens teve ao participar do torneio.

 

“É uma realização muito grande quando a gente consegue que a escola seja um suporte para que os alunos possam ter uma ascensão social ou até mesmo conhecer outros lugares, como foi o caso. Nós competimos no mesmo nível e a lição que fica é de que não importa o bairro ou  escola de onde os alunos vieram, basta ter força de vontade e interesse em aprender”, disse Fernandes.

 

O gestor destacou ainda o desejo de dar continuidade ao projeto e de que ele seja expandido e desenvolvido em outras unidades da rede municipal. Oswaldo Fernandes também explicou que uma nova equipe de robótica já está sendo formada, com alunos entre 12 e 13 anos, estando, inclusive, inscrita na Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), que acontecerá em Curitiba, em novembro deste ano.

 

A criação e sucesso da equipe de robótica promoveu também uma transformação na unidade escolar, que anteriormente sofria com problemas de comportamento dos alunos, por estar situada em uma área considerada zona vermelha da cidade, e hoje tem a comunidade escolar mais envolvida e comprometida com os trabalhos desenvolvidos dentro da unidade.

 

Aos 16 anos, Daniel Ribeiro fez sua primeira viagem internacional graças ao projeto. Ele falou sobre ideia de viajar para fora do Brasil e participar de uma competição internacional, ser algo, até então, inimaginável e explicou como foi viver a experiência de conhecer um dos países com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo e ter contato com estudantes de escolas de vários países.

 

“Nunca imaginávamos que iríamos sair do país, ainda mais para conhecer um país europeu considerado um dos mais honestos do mundo. Foi uma importante experiência, inclusive de vermos os times de outros países, com outros idiomas, outras línguas, de poder falar inglês, espanhol e ter esse contato com pessoas de outras culturas. Foi incrível”.

 

O projeto

 

Os estudantes da Equipe Invictus desenvolveram um game educativo que tem como personagem principal o Sauim de Coleira. O projeto foi desenvolvido para chamar a atenção das crianças e jovens sobre o animal que só existe nas matas de Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara e corre risco de extinção. Segundo o diretor da escola, o desafio do robô 213 na mesa de competição e o designer do game foram o diferencial no projeto apresentado.

 

Preparação

 

Antes da viagem os alunos passaram por uma preparação intensiva, que incluiu aulas de inglês para que pudessem se comunicar durante a competição. As aulas foram oferecidas por meio de parceria entre o Instituto Cultural Brasil Estados Unidos (Icbeu) e Secretaria Municipal de Educação (Semed).

 

As aulas de língua inglesa foram ministradas aos sábados, às terças e quartas-feiras, durante todo o mês de maio e foram voltadas especificamente para a apresentação dos estudantes durante a competição. A ideia é de que os adolescentes conseguissem se comunicar sem dificuldades durante a viagem.  O método abordou o ensino de cerca de 200 palavras em inglês além de assuntos que estivessem atrelados a apresentação do robô exposto no torneio.

 

Texto: Martha Bernardo

Fotos: Divulgação

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHskWfWQkw

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Educação (Semed): (92) 3632-2054

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse