Notícias

Caminhada com estudantes na zona Leste propaga importância do combate à exploração sexual

O Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi lembrado pela Prefeitura de Manaus com uma caminhada que reuniu mais de 500 alunos de escolas públicas municipais, na manhã desta quinta-feira, 18/5, percorrendo a Av. Autaz Mirim, na zona Leste.

 

O evento faz parte da Semana Municipal de Enfrentamento à Exploração Sexual, organizada pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh). Segundo o secretário Elias Emanuel, durante o ano todo são realizadas diversas ações com o objetivo de sensibilizar a população sobre a violação de direitos de crianças e adolescentes.

 

“Esse tema ainda é algo gritante, que toma conta da sociedade. A exploração sexual de crianças e adolescentes não tem cor, religião e classe social. Não poderíamos deixar essa data passar em branco, pois temos que envolver as crianças, escolas, saúde e todos os organismos vivos da sociedade para discutir essa temática”, disse o secretário que também falou sobre o empenho da secretaria em combater a prática.

“Todas as unidades da Semmasdh estão focadas em torno do combate à exploração sexual, porque para nós o importante é a preservação da cidadania e o resgate das crianças e adolescentes, por isso colocamos esse grito na rua para chamar a atenção da sociedade”, frisou o secretário.

Estudante da rede pública de ensino, Maynara de Oliveira, de 14 anos, destacou a importância de eventos que levantam a bandeira do combate à exploração sexual de criança e adolescentes.

 

“Ações como essa são muito importantes, pois hoje em dia temos vários relatos dessa violência. Por isso, participo desses eventos que mobilizam as pessoas e as faz refletirem sobre a causa”, disse a estudante.

 

Dados

 

De janeiro à primeira quinzena de maio de 2017, o Disque Direitos Humanos do município recebeu oito denúncias de abuso sexual e uma de exploração sexual, sendo todas de direitos violados de crianças e adolescentes.

 

De acordo com dados do Sistema de Registro Mensal de Atendimentos (SNAS), dos Creas, onde crianças e adolescentes em situações de violência ou violações ingressam no Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi), foram registrados no mesmo período 29 casos de abuso sexual e seis de exploração sexual, sendo 90% envolvendo meninas de 13 a 17 anos.

 

Canais de denúncia

 

A rede de proteção possui três canais de comunicação para quem sofrer ou conhecer qualquer situação de violação de direitos: Disque Direitos Humanos 0800 092 6644, Disque Denúncia 0900 092 1407 e Disque Direitos Humanos Nacional 100.

 

Texto: Alexsandro Machado

Fotos: Altemar Alcântara

Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsm11aEen

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh): 3215-4616

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse