Notícias

Árvores da Praça da Matriz passam por manejo fitossanitário

As árvores da Praça da Matriz, no Centro Histórico de Manaus, que durante muitos anos serviram como suporte para o comércio ambulante, que era praticado no local, receberam na manhã desta quinta-feira, 9/11, uma ação minuciosa de manejo fitossanitário para a retirada de pregos e objetos pontiagudos fincados nos seus troncos.

 

O trabalho está sendo realizado por técnicos das Divisões de Educação Ambiental e Corte e Poda da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). A praça, que passou por um processo de revitalização e será entregue à população, pela Prefeitura de Manaus, no próximo dia 15, possui 163 árvores, das quais 101 pertencentes ao conjunto arbóreo preservado do logradouro. A ação será desenvolvida em dois dias.

 

Na primeira ação, desta quinta-feira, foram retirados 155 objetos pontiagudos, entre pregos, tomadas, fios e correntes, em um total de 23 árvores inspecionadas. A ação terá continuidade nesta sexta-feira, 10. Desde março deste ano, quando a Semmas deu início às ações fitossanitárias, já foram retirados 923 materiais pontiagudos em 238 árvores em diversas ruas do Centro Histórico de Manaus. Junto com a retirada, a equipe realiza a sensibilização de pedestres nos locais das ações.

 

”Aos poucos estamos conseguindo sensibilizar as pessoas sobre a importância de preservar e cuidar das nossas árvores. A educação ambiental deve ser entendida e aplicada como um processo contínuo, no qual, as respostas muitas vezes são lentas, mas os resultados para as futuras gerações deverão vir certamente”, afirmou o chefe da Divisão de Educação Ambiental da Semmas, Raimundo Araújo. O trabalho já sensibilizou 220 pessoas nos últimos 8 meses.

 

A autônoma Maria do Socorro da Silva, 58, foi uma delas. “Fico com pena quando vejo uma árvore cheia de coisas penduradas, como se fosse um cabide para estender roupas. Espero que a Prefeitura de Manaus faça sempre esse trabalho de conscientização e retirada desses objetos”, comentou a autônoma.

 

Danos

A perfuração causada pelos pregos acaba se tornando porta de entrada para microorganismos como fungos e bactérias, que podem causar danos às árvores e acelerar sua morte. O trabalho terá continuidade em 2018. Já foram retirados também pneus, placas, correntes, cadeados e até instalações elétricas das árvores no Centro.

 

Texto: Júlio Pedrosa / Semmas
Fotos: Altemar Alcântara / Semcom
Disponíveis em: https://flic.kr/s/aHsm7uYNpr

Notícias relacionadas

Pesquisa Avançada

Utilize esta ferramenta para encontrar notícias de seu interesse